PCC comanda quase 1.500 homens em Minas Gerais

Compartilhe:

As Polícias Civis de São Paulo, Minas Gerais e de outros 12 Estados desencadearam nesta quinta-feira (14) a operação Echelon, que significa “escalão”, em referência aos graus hierárquicos da facção criminosa PCC, alvo das ações. Foram cumpridos 11 mandados de busca e apreensão e oito de prisão em 11 cidades de Minas – ao todo, no país, foram cumpridos 121 mandados, sendo 63 de prisão. Em Minas, o quarto Estado com maior número de integrantes do PCC – 1.432 –, as investigações sobre a atuação da facção no tráfico de armas e drogas se uniram à apuração da polícia sobre a série de ataques a ônibus, agências bancárias e prédios públicos que aterrorizaram o Estado na última semana – especialmente no Sul e no Triângulo.

“Por meio de trocas de informações entre a Polícia Civil de Minas (PCMG) e demais forças de segurança de Minas e de São Paulo, foi possível a prisão de diversos integrantes de organizações criminosas que têm ligação direta com os episódios”, diz nota da PCMG. Ao todo, 70 homens da PCMG participaram da operação, que aconteceu em Poços de Caldas, Pouso Alegre, Guaxupé, Extrema, Passos, Itaú de Minas, Botelhos, Caxambu, Alfenas, Divinópolis e Fortaleza de Minas.

BARROSO

Questionado pela reportagem do Barroso EM DIA sobre os ataques aos bancos na cidade, o Delegado Alexsander Soares Diniz, acredita que a ação tenha partido de uma organização criminosa voltada a furtos, roubos a estabelecimentos bancários e que não há vínculos com o PCC o que aconteceu no município. “Inclusive mediante o emprego de explosivos”, conta o Delegado que também tomou ciência de uma outra cidade do Norte de Minas que foi alvo semelhante de uma quadrilha.

Relembre o assalto. Clique aqui!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *