Compartilhe:

No Dia Internacional da Mulher – 8 de Março – Barroso se despede de uma de suas lideranças do sexo feminino. Depois de quase 19 anos à frente da comarca da cidade, a Juíza Doutora Valéria Possa Dornellas vai deixar o município.

Valéria tomou posse em 30 de abril de 2001 como juíza substituta e ficou até julho de 2003. Depois desse período trabalhou na comarca de Conselheiro Lafaiete e Barbacena. Voltou à Barroso em março de 2005 ainda como juíza substituta e em janeiro de 2006 se tornou juíza titular da comarca de Barroso.

A juíza aguarda, ainda este mês, o deferimento pelo Tribunal Pleno do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) da sua transferência para a 1ª Vara Cível, Criminal e Execuções Criminais da cidade de Santos Dumont, onde atuará em uma comarca de 2ª entrância.

ENTREVISTA EXCLUSIVA DO BARROSO EM DIA

Confira a entrevista exclusiva concedida ao Barroso EM DIA (BED). Nas próximas linhas Doutora Valéria fala da decisão de sair, dos obstáculos enfrentados, do carinho dos barrosenses, das amizades que fez e o que espera do futuro da comarca na cidade.

BED: O por que da saída?

Doutora Valéria: Não foi fácil tomar a decisão de me candidatar à vaga existente na comarca de Santos Dumont. Já estou em Barroso há muitos anos; conheço meus servidores, conheço os advogados e até os jurisdicionados. É inevitável depois de tanto tempo evitar um sentimento mais estreito que o profissional. Sinto-me feliz em Barroso, sinto-me feliz pelo trabalho que desempenho aqui. Mas a vida nos impõe circunstâncias nas quais precisamos dar passos à frente, somos convocados para outros desafios e situações que nos impelem a cortar as raízes que deixamos crescer no nosso jardim. Parece piegas, mas é verdadeiro. Fato é que ainda estou aguardando o aval do Tribunal Pleno do Tribunal de Justiça, mas, com o deferimento em mãos deverei deixar Barroso para atuar em outra comarca.

BED: Pra onde está indo?

Doutora Valéria: Para a Vara Cível, Criminal e de Execuções Criminais da Comarca de Santos Dumont.

BED: Em outubro de 2017 o rezoneamento tirou de Barroso a Zona Eleitoral, o que culminou no fechamento do Cartório Eleitoral da cidade. A sua saída tem haver com o fim do Cartório Eleitoral?

Doutora Valéria: Absolutamente não. Mesmo porque respondi desde então pela ZE da comarca de Alto Rio Doce e agora respondo pela ZE da comarca de Prados. Meus motivos são pessoais. Necessito estar mais próxima de meus pais, de minha família, na atual fase da minha vida.

BED: Como a senhora define a sua passagem por Barroso?

Doutora Valéria: Como anos maravilhosos de aprendizado, de amizades conquistadas, de dias de muito trabalho mas muito gratificantes. De aprimoramento profissional e, principalmente, de sentimento do “dever cumprido” em relação àquilo que se referia às minhas funções.

BED: Tem algum caso ou algo que lhe marcou que queira compartilhar?

Doutora Valéria: Todos os casos têm suas peculiaridades. Alguns nos tocam mais por envolver crianças, idosos … mas certamente aprendi com todos que passaram por minhas mãos.

BED: Como a Senhora vê o futuro da comarca na cidade de Barroso?

Doutora Valéria: Barroso é uma comarca muito dinâmica. Aqui trabalhamos incansavelmente e mesmo baixando (arquivando) muitos processos todos os meses o número de distribuições (novos processos) se mantém constante. Ao meu ver isto comprova a necessidade, ou melhor, a imprescindibilidade da atuação do Poder Judiciário na cidade de Barroso. Engana-se quem enxerga aqui uma cidadezinha do interior, sem complexidades e sem diversidades. A população barrosense busca seus direitos, está ciente dos caminhos que tem para fazer valer seus direitos. Assim, creio eu, que a comarca de Barroso tende a permanecer como um canal de cidadania, de realização do direito e de apoio para os jurisdicionados.

Engana-se quem enxerga aqui uma cidadezinha do interior, sem complexidades e sem diversidades. A população barrosense busca seus direitos, está ciente dos caminhos que tem para fazer valer seus direitos.

BED: A política de Barroso foi algum empecilho para o trabalho do judiciário na cidade?

Doutora Valéria: Jamais. Posso garantir que em todo o tempo que aqui atuei como juíza sempre fui respeitada, assim como respeitei a todos e considerei, tão somente, a lei como norte nas questões políticas que me foram apresentadas.

BED: Qual seria o maior desafio do futuro juiz ou juíza?

Doutora Valéria: O desafio de qualquer magistrado, em qualquer lugar, e em qualquer tempo, sempre foi, é e será dar a cada um que procura o Judiciário a Justiça. É fazer valer a lei, a ordem e o Direito.

BED: O que não conseguiu executar que gostaria de ter feito?

Doutora Valéria: Sempre estamos na busca da melhor prestação jurisdicional possível. Acredito ser uma luta constante e, devido a isso, lutamos para ter a zona eleitoral de volta. Até agora não foi possível, mas a semente já foi lançada e acredito que retornaremos com a 11ª ZE, o que a cidade merece.

BED: Sobre as mulheres no “poder”, qual a sua opinião?

Doutora Valéria: Engana-se quem acha que o famoso empoderamento feminino é tema que se apresenta agora. Sou de uma geração que aprendeu desde novinha a ir buscar os seus sonhos. Cresci admirando sobremaneira meu pai; um homem íntegro, sábio e que soube apontar para mim um caminho possível, que me ensinou que somos pessoas iguais perante Deus e que essa igualdade tem que ser respeitada também no mundo. Mas também tenho o exemplo de minha mãe: independente, determinada, vaidosa, feliz. Tento ensinar para meus filhos, hoje, que o equilíbrio é o que poderá nos fazer verdadeiramente felizes. E que o poder tem que ser exercido por aqueles que se preparam para realizar o bem no mundo, sejam eles homens ou mulheres.

BED: Fique a vontade para agradecer aos amigos que fez durante este tempo.

Doutora Valéria: Uma única palavra: gratidão. Agradeço aos meus servidores que, como fieis escudeiros, me apoiaram todo o tempo, incondicionalmente; e ao povo barrosense que sempre me acolheu com muito respeito e carinho.

SUBSTITUTO

Com a vacância do cargo de juiz de direito da comarca de Barroso, o Tribunal de Justiça fará a indicação do magistrado que irá responder pela nossa circunscrição judicial. Isso ainda não ocorreu porque a Doutora ainda não deixou a comarca. O deferimento do TJMG deve acontecer este mês de março.

MULHERES NO PODER

Em 2011, ao lado da então prefeita Eika Oka de Melo (PP) e da presidente da Câmara Municipal de Barroso, Vera Aparecida Rodrigues Pereira (PT), Doutora Valéria fez história no país como a única cidade onde os três Poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário) estavam concentrados nas mãos das mulheres.

Depois de reportagem do jornal impresso Barroso EM DIA a notícia foi parar no MGTV, da extinta TV Panorama, a atual TV Integração, de Juiz de Fora, afiliada da Rede Globo. Assista abaixo:

Foto de capa: Câmara Municipal de Barroso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *