Compartilhe:

Condenado pelo sequestro e assassinato da modelo Eliza Samudio, realizados em junho de 2010, o goleiro Bruno Fernandes atualmente cumpre pena de 20 anos e nove meses em regime domiciliar na cidade de Varginha, no Sul do Estado. Desde antes de conseguir a progressão, o jogador vem tentando retornar aos gramados, mas a repercussão negativa de tê-lo em seu elenco tem feito sucessivos clubes recuarem do interesse por sua contratação. 

Um caso como esse suscita questões de diversas ordens, entre elas o crescente protagonismo do combate à violência de gênero na sociedade, a forma como a masculinidade é expressa no futebol, a ressocialização pela via profissional após um caso emblemático e de ampla repercussão como esse e até mesmo como essa discussão se insere no contexto mais amplo do sistema prisional brasileiro. Todas elas são tratadas no episódio desta semana do podcast Tempo Hábil. Ouça!

Ouça onde preferir: RSS FeedSpotifyGoogle Podcasts, Apple PodcastsDeezerSoundCloud.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *