Compartilhe:

A população ajudou as forças de segurança a prender metade dos bandidos mais perigosos de Minas nos últimos anos. Homens que praticaram homicídios, tráfico de drogas e explosões de caixas eletrônicos foram parar atrás das grades após simples telefonemas anônimos por meio do Disque Denúncia (181). Todos estavam com mandado de prisão em aberto – alguns, há mais de uma década.

A caça aos criminosos mais procurados do Estado conta com o apoio dos mineiros desde 2011, quando foi criado o projeto “Procura-se”. Listas com nomes, apelidos, documentos, cidades e delitos praticados foram feitas também em 2012, 2017 e 2021. A última acaba de completar um ano e uma nova está em elaboração.

Nas três primeiras edições, 29 dos 41 alvos foram capturados, segundo a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp). Da lista atual, oito foram para a cadeia, mas 13 seguem à solta.

Para estimular as denúncias, cartazes com as imagens dos fora-da-lei são colocadas em áreas de grande movimentação, como rodoviárias, além de um site próprio e redes sociais. A divulgação também traz o benefício de inibir a circulação deles, destaca a Sejusp.

Ao ligar gratuitamente para o 181 Disque Denúncia e dar informações sobre os procurados, a pessoa tem sigilo e anonimato garantidos. Ela poderá fornecer detalhes sobre onde atuam, carro e ônibus que utilizam, quem são os comparsas, quais são horários, onde foram vistos, ou qualquer outro detalhe que possa contribuir com o trabalho da polícia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.