Compartilhe:

Em entrevista ao repórter Bruno Ferreira, no Jornal das 11 da Rádio Liberdade FM, a doutora Luciana Nogueira, umas das responsáveis pelo enfrentamento da Covid na cidade, falou sobre o momento que Barroso e principalmente a região estão enfrentando. “E com relação a Barbacena e São João del Rei, não tem vaga mesmo. Não adianta o pessoal achar que é invenção da mídia e que estão fazendo sensacionalismo, mas é a pura realidade: não tem vaga nas UTIs”, diz a doutora que está à frente do combate à pandemia desde março do ano passado, há praticamente um ano.

“O sentimento que mais reflete o que estamos passando é angústia. Todos nós aqui estamos angustiados. A gente vê que os quadros estão mais graves e que pessoas mais jovens também dependem cada vez mais de oxigênio. Angústia aliada a preocupação, porque a gente vê que as pessoas não estão acreditando na doença e continuam desrespeitando os protocolos”, diz Luciana.

O Hospital Macedo Couto, segundo a doutora, teve que aumentar o número de quartos para atendimento a covid-19. Ainda segundo Luciana, de segunda para terça, a situação se agravou com o aumento de oito pacientes internados na segunda-feira para 10 na terça-feira.

“A gente teve que pegar e fazer outra enfermaria. A enfermaria da obstetrícia passou então a fazer parte do núcleo de atendimento ao coronavírus. Além de tudo isso, passamos por outro problema que é financeiro. Assim como o município, o Hospital não recebe repasse desde o final do ano passado. As pessoas falam muito que o Hospital ganha dinheiro para receber estes pacientes, mas a realidade é outra. O Hospital recebe por cada paciente R$1.700, mas se o paciente ficar 3 ou 15 dias o valor é o mesmo, ou seja, não cobre, porque isso inclui tudo: serviço médico, hospitalar, exames, enfim, e os custos desses pacientes são muito altos. Para se ter uma ideia, um único paciente outro dia ficou em torno de R$6 mil. E aí? Quem vai pagar essa diferença? Então, além desta questão da doença ainda temos a situação dramática financeira. Além de tratar os pacientes com Covid, temos que lutar para manter o hospital aberto”, descreve a situação a doutora.

Por fim, Luciana pediu conscientização das pessoas e lembrou que o diferencial é cada um fazer sua parte. “Não só UTI, mas poucas enfermarias estão com vagas aí fora. Chegou a hora da escolha. Temos que escolher seguir os procedimentos. Que possamos aproveitar a Semana Santa para pensar no que Cristo fez por nós e no que nós podemos fazer pelo outro”, reforça a doutora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *