Delegado de Barroso fala sobre cuidados com golpes por telefone

Compartilhe:

Esta semana a reportagem do Barroso EM DIA noticiou com exclusividade a notícia de que uma mãe barrosense teria sido vítima de mais um golpe via telefone. (Relembre aqui)

Questionado sobre a notícia divulgada e a prática dos bandidos, o Delegado Alexsander Soares Diniz, prontamente respondeu ao meio de comunicação com o intuito de colaborar contra futuros possíveis golpes.

“Como a matéria diz, trata-se de uma quadrilha especializada. Ela atua de longe e age através de contato telefônico. As pessoas devem evitar passar informações e dados pessoais por telefone”, diz Alexander que acrescenta que as quadrilhas se aproveitam dessa facilidade das pessoas e usam tais informações nos golpes.

“Antes de tudo, quem recebe um telefonema desses deve manter a calma e certificar com seu parente tido como sequestrado, com outros parentes, vizinhos e amigos sobre o que está ocorrendo. Faça contato com eles e saberá que seu parente não foi sequestrado e se encontra bem”, explica.

“Deve também fazer contato com a polícia e contar sobre o telefonema que recebeu (do falso sequestro) e se orientar. Não deve ceder ao golpe, não deve realizar depósitos bancários dos valores solicitados ou exigidos pelos criminosos”, conta.

De acordo com o Delegado, às vezes o telefonema é sobre falso sequestro, falso roubo, falso problema no carro de um parente da vítima na rodovia, falsa contemplação de prêmio na loteria e outros golpes parecidos. Sempre aparecem os bandidos pedindo ou exigindo um valor em depósito bancário ou créditos de celular”, relata.

O que muito acontece, segundo a autoridade, são informações que são repassadas sem perceber. “Se o estelionatário interlocutor ao telefone sabe de alguma informação pessoal da vítima é porque a vítima forneceu essa informação sem perceber ou porque o criminoso “jogou verde para colher maduro” e deu certo”, relata.

“Enfim, não fique abalado, não tenha medo, imediatamente faça contato com seu parente tido como sequestrado, com familiares e a polícia e não faça os depósitos exigidos pelos criminosos golpistas”, declara Alexsander.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *