Compartilhe:

Golpe do motoboy, invasão de contas de Instagram, WhastApp clonado… A infinidade de modalidades assumidas pelo crime de estelionato mostra que a criatividade dos criminosos não tem limite.

Com tanta variedade, os dados da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) apontam que o aumento de casos nos últimos anos ajudou a consolidar o estelionato como o crime mais comum em Minas Gerais, superando até mesmo os roubos. De 2020 para 2021, o aumento nos registros desse crime foi de quase 20%. Em 2022, a tendência de aumento se manteve com quase 333 crimes de estelionato registrados por dia em Minas Gerais (39.736 ocorrências entre janeiro e abril).

Segundo os dados da pasta, para cada roubo praticado em Minas Gerais em 2021, foram ao menos quatro crimes de estelionato (104.278 estelionatos para 26.882 roubos). O “ponto de virada” foi em 2020 – primeiro ano da pandemia, em que o uso da internet foi ampliado devido às restrições de circulação.

Para o delegado Ângelo Ramalho, chefe da Divisão Especializada de Investigação aos Crimes Cibernéticos e Defesa do Consumidor, o usuário deve sempre ter um “pé atrás” ao lidar com algumas informações que aparecem na internet. “Desconfie. Ninguém vai te oferecer nada na internet. Sempre que algo do tipo acontecer, fique atento e sempre leia com atenção o que está sendo proposto. Se parecer minimamente suspeito, caia fora”, recomenda.

Via Jornal O Tempo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.