Compartilhe:

O professor é aquele que nos ensina a ler, nos apresenta o universo mágico e libertador da leitura, da alfabetização, é aquele que forma doutor em todas as áreas do conhecimento, nos ensina de ética a matemática, forma engenheiros e biólogos, nos ajuda a desenvolvermos senso crítico, nos ajuda a entender o mundo como mundo, ajuda a tornarmos gente de fato.

São escolas de ensino fundamental e médio, APAEs, institutos e universidades públicas que estruturam a base da nossa sociedade, produzem ciência, geram tecnologia e inovação, promovem inclusão social, estabelecem ações de extensão e atendem a demanda da sociedade, formam mão de obra técnica, nos prepara para o ENEM, estabelecem valores, criam posturas sustentáveis e é onde muitas vezes uma criança conhece respeito, amor e carinho, e em tantos caso é onde se alimenta.

Apesar de tudo isso, esses profissionais são pouco valorizados, maioria possuem carga horária elevada, baixos salários, são acusados de formar “comunistas”, assumem muitas vezes e de forma crescente o papel da família na formação da criança, são hostilizados, muitos não tem chances de se aperfeiçoarem, e é de se espera que muitos estejam estressados e depressivos.

Sou a favor do ensino público de qualidade e gratuito; de mais escolas, inclusive rurais; sou a favor de todos terem o mesmo piso salarial, mínimo de oito salários, igual para rede municipal, estadual e federal; menor carga horária de sala de aula; aumentar o corpo docente das escolas e universidades; incentivo ao aperfeiçoamento; autonomia das instituições; e ensino laico.

Você poderia me perguntar de onde viriam esses recursos? Se forem retirados o auxílio moradia, alimentação e “paletó” dos deputados, senadores e ministros; diminuir salário dos mesmos; trabalho voluntário de vereadores; incluir militares e o judiciário na reforma já aprovada, tenho certeza que isso já iria gerar um valor para repassar ao professor.

Em muitos países europeus o cargo de professor é o mais valorizado, mas aqui, você já sabe. Se você não concorda com isso, desculpe, mas você é co-responsável pela situação do país, onde o “achismo” é mais valorizado que fatos comprovados, onde analfabetismo científico e político é gigantesco, onde cresce a intolerância e diminui o bom senso, onde a democracia se torna cada vez mais frágil.

por Marcos Magalhães

1 comentário

  1. Professor deixou de ser aquela pessoa que orientava, transmitia informações de dúvidas e passou a ser educador. Pois, as famílias se ausentaram da vida de seus filhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *