Compartilhe:

Na data projetada pelas autoridades como o pico de contágio da Covid-19, Minas confirmou 3.367 casos da doença em 24 horas. Esse é o terceiro pior dia de notificações no Estado, desde o início da pandemia, em março.

Até então, de acordo com levantamento da Secretaria Estadual de Saúde (SES), registros superiores ao desta quarta-feira (15) ocorreram em 11 de julho, quando foram atestados 3.727 doentes, e 26 de junho, com 6.095.

Nesse último caso, no entanto, vale lembrar que o Estado frisou que não se tratava de um recorde, mas que mudanças ocorreram no modelo de recolhimento de dados na tentativa de diminuir a diferença nos números informados pelas prefeituras.

Auge da doença

Até o momento, Minas tem 82.010 infectados pelo vírus. São 1.752 mortes, sendo que 64 óbitos foram confirmados nas últimas 24 horas.

Estudos da SES apontaram que o pico da pandemia estava previsto para esta quarta-feira. Porém, após a informação, a própria secretaria explicou que o dia de maior transmissão poderia não acontecer. Agora, o Estado trabalha com a expectativa de um platô, que é a estabilização do contágio em um patamar mais alto.

Somente depois do período de pior transmissão do vírus é que as autoridades vão saber com exatidão o que de fato aconteceu em Minas.

Recuperados

De acordo com o balanço da SES, 56.001 pessoas estão sem os sintomas do vírus e são consideradas curadas. Outras 24.257 seguem em acompanhamento. Desde o início da pandemia, 9.344 doentes precisaram de internação hospitalar.

Até o momento, a enfermidade está presente em 763 municípios. Em 317 deles houve registro de mortes. Belo Horizonte tem o pior cenário, com 11.827 casos e 296 óbitos. A capital é seguida por Uberlândia, no Triângulo, com 9.370 infectados e 148 vidas perdidas.

Evolução da doença em Minas Gerais nos últimos 30 dias

Informações Hoje em Dia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *