Compartilhe:

A cidade de Barroso, com cerca de 20 mil habitantes, é a 15ª cidade do Estado de Minas Gerais, com o maior número de casos prováveis de Dengue. Ao todo, são 853 municípios em Minas.

Os dados são do Boletim Epidemiológico da Secretaria de Estado de Minas Gerais (SEE-MG) divulgados na última segunda-feira (29/01). Toda semana, a Secretaria divulga um novo boletim sobre a situação da dengue no estado.

Segundo os novos dados, Barroso tem 760 casos prováveis de dengue. Com mais casos que Barroso, somente 15 cidades, entre elas, Belo Horizonte e municípios da região metropolitana.

Barroso tem mais casos, por exemplo, que Juiz de Fora, cidade quase 30 vezes maior que o município. Os juizforanos estão com 250 casos prováveis e o município tem cerca de 600 mil habitantes. Barbacena e São João del Rei também tem menos casos que Barroso.

Para tentar combater o mosquito, a Prefeitura Municipal criou um centro especializado e aumentou para atendimento aos pacientes com sintomas e declarou que aumentou a fiscalização nas residências e bairros com o maior número de foco. Porém, fez questão de frisar que para combater a dengue precisa da colaboração de todos os moradores.

VACINA

Apesar do alto número, Barroso está fora da lista das cidades que vão receber a vacina da dengue no próximo mês. Vinte e duas cidades de Minas Gerais estão entre os 521 municípios brasileiros selecionados pelo Ministério da Saúde para iniciar a vacinação contra a dengue via Sistema Único de Saúde (SUS).

Veja a lista das cidades mineiras:

  1. Coronel Fabriciano
  2. Timóteo
  3. Pingo-d’Água
  4. Antônio Dias
  5. Marliéria
  6. Santa Maria de Itabira
  7. Jaguaraçu
  8. Dionísio
  9. Córrego Novo
  10. Belo Horizonte
  11. Ribeirão das Neves
  12. Sabará
  13. Santa Luzia
  14. Nova Lima
  15. Caeté
  16. Rio Acima
  17. Jaboticatubas
  18. Raposos
  19. Belo Vale
  20. Moeda
  21. Nova União
  22. Taquaraçu de Minas

As regiões selecionadas atendem a três critérios: são formadas por municípios de grande porte, com mais de 100 mil habitantes; registram alta transmissão de dengue no período 2023-2024; e têm maior predominância do sorotipo DENV-2.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *