Compartilhe:

O programa do Governo Estadual, Minas Consciente, que antes era dividido em quatro ondas; branca, amarela, verde e vermelha, agora passa a ter apenas três cores; amarelo, verde e vermelho.

Ao explicar as mudanças no programa, Zema comparou o modelo a um sinal de trânsito. “A onda vermelha vai ser aplicada aos municípios e regiões com mais dificuldades. A amarela, aos que estão em condição intermediária. A verde, em locais cujas condições são mais seguras”, comentou, em transmissão ao vivo pelas redes sociais.

Na fase vermelha, estarão autorizados a funcionar apenas os serviços essenciais. Na segunda onda, estão as atividades tidas como não essenciais. Na última, consta o que é considerado de alto risco. O “leque” de atividades liberadas aumenta conforme as cidades avançam estágios. A onda branca, presente na primeira versão do programa, foi extinta.

As cidades com menos de 30 mil habitantes, caso de Barroso, que tem cerca de 20 mil habitantes, terão, nas palavras de Zema, tratamento diferenciado. Além das 14 macrorregiões de saúde já existentes, foram criadas 62 microrregiões para auxiliar, na prática, o plano. Os municípios poderão escolher seguir as diretrizes adotadas pelas macro ou pelas microrregiões das quais fazem parte.

BARROSO

Até a mudança do programa, que aconteceu nessa quarta-feira (29), a cidade de Barroso, assim como a macrorregião Centro-Sul, tinha retornado para a chamada Onda Verde. Relembre aqui! 

A Prefeitura Municipal de Barroso foi questionada sobre a mudança e em qual “cor” se encaixa agora com as novas diretrizes do governo estadual. “Com as mudanças temos de aguardar uma reunião da macro e micro e também do comitê municipal. Mudou tudo. Teremos de aprender tudo de novo”, diz o Prefeito Reinaldo Fonseca (PSDB).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *