Compartilhe:

O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), aumentou seu potencial de votos na disputa pelo governo de Minas à medida que começou a ser mais conhecido pela população mineira, de acordo com a quarta rodada da pesquisa DATATEMPO realizada entre 26 de novembro e 1º de dezembro. Apesar disso, o governador Romeu Zema (Novo) permanece com ampla vantagem sobre Kalil e venceria a eleição já no primeiro turno se contabilizados apenas os votos válidos – ele tem 56,9% dos votos, contra 28,4% do prefeito.

Kalil é conhecido por quase todos os moradores da região metropolitana de Belo Horizonte. Atualmente, apenas 3,1% dos entrevistados na região responderam não conhecê-lo o suficiente para decidir se votariam nele ou não. Além disso, um cruzamento de dados realizado pelo instituto aponta que moradores da região têm 724% mais chances de votar em Kalil que os residentes em outras regiões do Estado.

Dessa forma, o principal desafio dele neste momento é se tornar conhecido também no interior. Na pesquisa de julho, cerca de um terço dos participantes em todo o Estado (33,2%) afirmou não conhecer o prefeito da capital e, portanto, não respondeu se havia possibilidade de votar nele. Pouco mais de quatro meses depois, Kalil está mais conhecido, e o índice caiu para 23,6%, quase 10 pontos percentuais a menos. No mesmo período e praticamente na mesma proporção, o potencial de votos do prefeito subiu de 34,5% para 44,6%.

A mudança nos números coincide com um movimento de Kalil focando o interior. Em setembro, ele começou a viajar e a dar entrevistas a meios de comunicação locais. A estratégia escolhida foi reativar a Frente Mineira de Prefeitos (FMP) e eleger Kalil para presidente. Assim, ele tem se apresentado não como pré-candidato – oficialmente, diz que ainda não é a hora – ou como prefeito de Belo Horizonte, mas como uma liderança da frente.

Informações: O Tempo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.