Juiz de Fora tem 4 mortes por dengue; veja situação de outras cidades da região

Compartilhe:

Juiz de Fora registrou duas novas mortes por dengue, chegando a um total de quatro, e alcançou o patamar de incidência muito alta da doença. Os novos dados foram divulgados no boletim epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), divulgado nessa terça-feira (11).

Além da cidade, outras 21 da Zona da Mata e Campo das Vertentes registraram 131 casos prováveis de dengue na última semana. A SES-MG considera como casos prováveis a soma entre suspeitos e confirmados.

Os registros são referentes aos municípios de: Cataguases (1), Espera Feliz (1), Eugenópolis (1), Guaricema (1), Laranjal (4), Leopoldina (2), Lima Duarte (1), Mar de Espanha (5), Muriaé (11), Piau (1), Recreio (3), Rio Pomba (1), Rochedo de Minas (1), Santa Cruz de Minas (2), São João del Rei (23), São João Nepomuceno (11), Tocantins (3), Ubá (20), Viçosa (6), Visconde do Rio Branco (32) e Volta Grande (1).

Juiz de Fora

De acordo com o boletim, Juiz de Fora é a única cidade da Zona da Mata com óbitos entre os 74 registrados no Estado. As duas primeiras mortes no município haviam sido divulgadas no boletim do dia 28 de maio.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, os dois novos casos de morte apontados pelo boletim foram de duas idosas, de 87 e 67 anos. Elas moravam nos bairros Santa Luzia e Santa Cruz, respectivamente. De acordo com a pasta, outros cinco óbitos seguem em investigação na cidade.Também pela primeira vez em 2019, Juiz de Fora foi classificada com incidência muito alta para dengue, com o índice de 514,97. No total, a cidade contabiliza 2.906 casos possíveis da doença.

Incidência

Em relação à incidência, São João Nepomuceno segue no primeiro lugar na região com índice de 6.946,56.

A estratificação dos valores utilizados pela SES-MG contribui para avaliação, planejamento e orientação das medidas de controle vetorial e ações de vigilância em saúde.

  • incidência baixa: menos de 100 casos prováveis por 100.000 habitantes;
  • incidência média: 100 a 299 casos prováveis por 100.000 habitantes;
  • incidência alta: de 300 a 499 casos prováveis por 100.000 habitantes;
  • incidência muito alta: mais de 500 casos prováveis por 100.000 habitantes.

De acordo com o boletim do Estado, a taxa de incidência estima risco de ocorrência da dengue em uma determinada população em intervalo de tempo também determinado e a população exposta ao risco de adquirir a doença.

Veja a situação detalhada de cada cidade da região:

CidadeIncidênciaCasos Prováveis em 2019
Além Paraíba56,62 (baixa)20
Alfredo Vasconcelos29,28 (baixa)2
Andrelândia32,67 (baixa)4
Antônio Carlos17,49 (baixa)2
Antônio Prado de Minas248,60 (média)4
Argirita72,70 (baixa)2
Astolfo Dutra156,19 (média)22
Barão de Monte Alto183,72 (média)10
Barbacena26,39 (baixa)36
Barroso193,05 (média)40
Bicas755,32 (muito alta)109
Brás Pires228,62 (média)10
Cajuri24,99 (baixa)1
Capela Nova42,80 (baixa)2
Carandaí161,88 (média)41
Carangola457,74 (alta)151
Cataguases139,24 (média)104
Chácara1.373,89 (muito alta)46
Cipotânea14,76 (baixa)1
Coimbra239,46 (media)18
Conceição da Barra de Minas75,72 (baixa)3
Coronel Pacheco909,9 (muito alta)28
Descoberto700,56 (muito alta)35
Desterro do Melo856,46 (muito alta)25
Divino75,44 (baixa)15
Dona Euzébia122,64 (média)8
Dores de Campos674,54 (muito alta)68
Dores do Turvo69,95 (baixa)3
Ervália10,62 (baixa)2
Espera Feliz68,62 (baixa)17
Eugenópolis1185,59 (muito alta)133
Ewbank da Câmara179,30 (média)7
Faria Lemos30,66 (baixa)1
Goianá1.624,37 (muito alta)64
Guarani3.804,71 (muito alta)339
Guarará107,44 (média)4
Guidoval56,30 (baixa)4
Guiricema225,07 (média)19
Juiz de Fora514,97 (muito alta)2.906
Laranjal162,10 (baixa)11
Leopoldina258,89 (média)136
Lima Duarte839,78 (muito alta)140
Mar de Espanha432,22 (alta)55
Maripá de Minas135,18 (média)4
Matias Barbosa139,03 (média)20
Mercês606,34 (muito alta)65
Miradouro139,91 (média)15
Miraí46,94 (baixa)7
Muriaé1126,60 (muito alta)1.298
Olaria56,34 (baixa)1
Orizânia37,72 (baixa)3
Patrocínio do Muriaé1.468,51 (muito alta)83
Paula Cândido10,46 (baixa)1
Pedro Teixeira165,93 (média)3
Pequeri1268,88 (muito alta)42
Piau579,08 (muito alta)16
Piedade do Rio Grande44,17 (baixa)2
Pirapetinga27,96 (baixa)3
Piraúba4.058,80 (muito alta)439
Presidente Bernardes55,58 (baixa)3
Recreio513,60 (muito alta)54
Rio Novo1073,71 (muito alta)96
Rio Pomba2.105,50 (muito alta)376
Rio Preto36,58 (baixa)2
Rochedo de Minas786,37 (muito alta)18
Rodeiro901,01 (muito alta)72
Rosário de Minas43,80 (baixa)2
Santa Bárbara do Monte Verde32,08 (baixa)1
Santa Cruz de Minas573,70 (muito alta)49
Santa Rita do Jacutinga40,77 (baixa)2
Santana de Cataguases233,58 (média)9
Santo Antônio do Aventureiro55,52 (baixa)2
Santos Dumont45,11 (baixa)21
São Francisco do Glória81,82 (baixa)4
São Geraldo386,39 (alta)47
São João del Rei839,90 (muito alta)753
São João Nepomuceno6.946,56 (muito alta)1.825
São Sebastião da Vargem Alegre33,43 (baixa)1
Senador Cortes1.943,20 (muito alta)39
Senador Firmino244,72 (média)19
Senhora de Oliveira86,42 (baixa)5
Senhora dos Remédios66,98 (baixa)7
Silverânia132,86 (média)3
Tabuleiro6.460,97 (muito alta)245
Tocantins2.656,31 (muito alta)441
Tombos170,71 (média)14
Ubá338,69 (média)387
Viçosa692,33 (muito alta)542
Vieiras55,11 (baixa)2
Visconde do Rio Branco1.245,58 (muito alta)525
Volta Grande343,31 (alta)18

Chikungunya e zika

No estado foram 2.322 casos prováveis de chikungunya. Na última semana na Zona da Mata, a cidade de Leopoldina registrou um caso.

Já sobre a zika, Minas Gerais contabiliza 1.145 casos prováveis no ano. Na região, apenas Ubá registrou um novo caso provável da doença.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *