Compartilhe:

Após seis meses de pandemia, Minas Gerais chegou aos menores índices de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e de enfermaria. De acordo com o secretário estadual de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, os números estão próximos de 60%. Apesar disso, Carlos e o secretário adjunto, Marcelo Cabral, pediram atenção redobrada da sociedade no comportamento durante o ‘novo normal’ para que os indicadores se mantenham estáveis no estado.

De acordo com Carlos Eduardo Amaral, Minas apresenta uma taxa de ocupação em relação aos leitos de UTI na ordem de 62,36%. Isso corresponde a 2.411 vagas preenchidas, sendo 865 delas por pacientes com COVID-19. Já em relação aos leitos de enfermaria, 59,76% deles estão indisponíveis, com 1.521 pessoas internadas com suspeita de coronavírus.

“Esses dados para nós são muito importantes, pois são as menores taxas que tivemos desde o início da pandemia. Então, efetivamente, sugere que nós estamos com uma tendência a redução de casos no estado”, disse o secretário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *