Compartilhe:

O aumento de 8,86% no preço do diesel para as distribuidoras, anunciado nessa segunda-feira (9/5) pela Petrobras, pegou de surpresa os transportadores de combustíveis de Minas Gerais.

O impacto pode levar a uma alta de 20% dos custos operacionais e, de acordo com o presidente do sindicato, há possibilidade de uma greve dos tanqueiros contra o aumento. O diesel, que antes custava R$4,51 por litro, vai passar a custar R$ 4,91 nas refinarias.

O efeito do aumento do diesel é em cascata, com impacto diversos gastos do transporte rodoviário. Por isso, um aumento de cerca da 20% dos atuais custos operacionais já é esperado, que deve ser repassado para o consumidor.

“A categoria está reclamando muito”, afirmou Irani Gomes, presidente do Sindtanque-MG. A notícia chegou como uma surpresa. “A gente não acreditava que a Petrobras poderia trazer esse aumento nesse momento”, concluiu, tendo em vista a alta da inflação e o agravamento que pode-se esperar dela após a alta do combustível.

A reunião do sindicato das transportadoras será nessa semana, entre quarta (11/5) e sexta-feira (13/5). Entre as pautas, está a possibilidade de uma greve.

O Tempo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.