Compartilhe:

Quem nunca se deparou com o termo “rolê aleatório”?! Nosso maior expoente do rolê aleatório até hoje é o Ronaldinho Gaúcho, que surge nos lugares mais inesperados!

Um processo aleatório é a repetição cujo resultado não descreve um padrão determinístico, mas segue uma distribuição de probabilidade. Por exemplo o lançar de um dado, que qualquer uma das 6 (seis) faces do dado tem iguais probabilidades de ficar para cima após o arremesso.

Utilizando da definição de aleatoriedade, que tal trazer a aleatoriedade para o nosso cotidiano? Aprendizado e agregar conhecimento nunca é demais. Ache uma filosofia de vida compatível com seus princípios e siga. Vá. Explore. Abrace o desafio que surgir.

Vivendo em um mundo onde a cultura dos terraplanistas está ganhando espaço, ou mais, em um país onde movimentos como os de antivacina só vem crescendo e fazem parte de um projeto e de uma visão de mundo com os quais o governo atual compactua e incentiva, o conhecimento é a chave. Em último caso, mantenha em mente que ser uma pessoa de hábitos de aprendizado aleatório pode fazer você saber o que falar em qualquer roda de conversa ou, no mínimo, saber o que não falar para não ser o inconveniente.

Dê valor a vida. Não “fracasse” como ser humano. Seja curioso, queira aprender. Intensifique a leitura. Tome rumos imprevisíveis. Talvez você não está perdendo tempo com coisas inúteis, talvez você está ganhando um tremendo futuro.

O “rolê aleatório do aprendizado” está sempre à espreita! Se nunca não aconteceu com você é porque AINDA não aconteceu… e só depende de você “dibrar”.

por Ana Roberta Melo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *