Compartilhe:

A disputa presidencial em Minas Gerais segue estável, com a diferença entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o atual presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), variando apenas na margem de erro. É o que mostram os dados da pesquisa DATATEMPO realizada entre os dias 15 e 20 de julho em todo o Estado. Os números mostram o petista com 45,1% das intenções de voto na pesquisa estimulada, contra 30% do candidato do PL. No intervalo de um mês e meio, desde o último levantamento, a distância apenas oscilou passando de 16,8% para 15,1%.

Com isso, os mineiros continuam dando um percentual que poderia eleger Lula ainda no primeiro turno, principalmente em razão do baixo desempenho dos outros candidatos, que passaram a somar menos votos que no levantamento anterior, reforçando a polarização entre os dois primeiros colocados.

De acordo com o DATATEMPO, Lula tinha 44,8% entre o final de maio e o início de junho, quando foi feito o levantamento anterior. Agora, oscilou para 45,1%. Já Bolsonaro foi de 28% na pesquisa antiga para 30% na atual. Os dois oscilaram apenas dentro da margem de erro de 2,19 pontos percentuais para mais ou para menos.

ESPONTÂNEA:

A pesquisa espontânea, aquela que não apresenta o nome dos candidatos, também indicou vantagem estável de Lula. Ele hoje registra 38,6% (0,9 ponto percentual a mais que no levantamento anterior). Já Bolsonaro alcança 26,9% (0,8 ponto percentual acima do registrado na pesquisa antiga). Além deles, só Ciro Gomes ultrapassa 1% nesse tipo de levantamento. Ele ficou com 1,5%. Outros nomes citados somaram juntos 1,7%. Os que dizem que não vão votar em ninguém, que vão anular ou votar em branco são 9%. Os que não souberam ou não responderam são 22,3%.

SEGUNDO TURNO:

A pesquisa também mostra vantagem confortável de Lula no segundo turno. Contudo, a distância oscilou para baixo, passando de 20,7 para 17,1 pontos percentuais. Agora, Lula soma 52% das intenções de voto, contra 34,3% de Bolsonaro.

Se forem considerados apenas os votos válidos (que é como o TSE divulga o resultado), o ex-presidente teria hoje 60,25%, contra 39,75% do atual chefe do Executivo.

A pesquisa DATATEMPO foi feita com recursos próprios. Os dados foram coletados de 15 a 20 de julho. Foram realizadas 2.000 entrevistas domiciliares. A margem de erro é de 2,19 pontos percentuais para mais ou para menos. O intervalo de confiança é de 95%. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo BR-08880/2022, e no Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG) sob o número MG-08733/2022.

Via O Tempo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.