Compartilhe:

Na reunião ordinária dos vereadores de São João del-Rei desta quarta-feira (31), o presidente da Câmara, Stefênio Pires (PSL), logo na abertura da sessão, gerou polêmica, ao exaltar a comemoração do golpe de 1964, que instaurou ditadura militar no Brasil.

“Bom dia a todos! Em nome de Deus, declaro aberta esta sessão extraordinária remota, 31 de março de 2021, dia que comemoramos 57 anos da revolução de 64”. Imediatamente, a vereadora Lívia Guimarães (PT) retrucou: “Bom dia! Fale pelo senhor, vereador. Se o senhor comemora, eu não comemoro isso não!”.

Stefânio, assim, emendou: “Perdão, mas meu pai estava lá, então, herdei a medalha”. Na chamada dos vereadores, Rogério Bosco (PT) também se manifestou: “Quero salientar que não estou comemorando a revolução de 64”.

Nos comentários da transmissão realizada pelo Facebook, um internauta repudiou a fala de Stefânio. “Revolução, não, presidente. Foi golpe mesmo. Golpe não se comemora, se lamenta”.

Outro internauta destacou: “A ditadura assassinou 400 pessoas, prendeu e torturou mais de dez mil. Comemorar o golpe é apologia a violência, está na Constituição. Milhares de brasileiros foram expulsos, banidos do país”.

Não houve nenhum comentário de apoio à fala do Presidente da Câmara.

A ditadura reprimiu

O fato gerou repercussão também no cenário político local. O PSTU de São João del-Rei emitiu a seguinte nota, com a imagem abaixo:

“Repúdio ao presidente da Câmara de São João del-Rei. Em reunião hoje (31/03) o presidente da Câmara de São João del-Rei Stefânio abre a cessão dizendo que comemora a ditadura militar. A ditadura militar reprimiu o movimento operário, perseguiu dirigentes políticos, prendeu, torturou e assassinou opositores, tudo para garantir os lucros das grandes empresas, como as multinacionais automobilísticas que apoiaram ativamente o regime, os bancos e os EUA”, cita o texto da publicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *