Compartilhe:

A cada dois dias, uma criança desaparece em Minas. A maioria sai de casa sem avisar os pais e se perde, mas também há registros de crimes. A polícia reforça o alerta aos responsáveis, principalmente com relação às denúncias, que devem ser feitas imediatamente.

Nos dois primeiros meses deste ano, 29 sumiços de meninos e meninas de até 11 anos foram registrados. Só oito foram encontrados. A média registrada em 2022 é praticamente a mesma do ano passado, que teve 180 casos, com 69 localizações. Os dados são da Secretaria de Estado Justiça e Segurança Pública (Sejusp).

Delegada da Divisão de Referência da Pessoa desaparecida de Belo Horizonte (DRPD-BH), Bianca Landau Braile destaca a necessidade de muita atenção e controle por parte das famílias. Acompanhar a rotina dos filhos, saber os horários de chegada e saída da escola e ter o contato dos pais dos amigos deve ser uma regra.

Outra questão é o controle do acesso à internet. “É preciso verificar quais sites os filhos estão acessando, o tipo de conteúdo e observar se tem alguma coisa que possa ser considerada como pedofilia”, alerta.

A policial lembra a importância da Semana de Mobilização Nacional para a Busca e Defesa da Criança Desaparecida para conscientizar as famílias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.