Compartilhe:

Diversos consumidores estão buscando como alternativa fazer pesquisas antes das compras, ou criar novas estratégias para não pesar o bolso e garantir a celebração da festa.

De acordo com levantamento divulgado na segunda-feira (30), pelo site Mercado Mineiro, vários produtos considerados essenciais nas festas juninas mais do que dobraram de preço desde a última oportunidade de celebrar a data, em 2019.

É o caso do pacote de milho de pipoca de 500 g, que tinha o preço médio de R$ 3,26 em 2019 e foi para R$ 7,09, neste ano, um aumento de 117%. Outro alimento típico que teve um grande aumento no preço após três anos foi a mandioca. O quilo foi de R$ 2,63 para R$ 6,58, uma variação de 150%.

O economista Feliciano Abreu, responsável pela plataforma da pesquisa, afirma que o impacto nos preços é o mesmo que o brasileiro tem percebido nos alimentos dia a dia. “O milho está em alta no mercado internacional. Este é um alimento-base, que acaba gerando um aumento em vários outros”, detalha.

Foi o que aconteceu com a canjica, derivada do milho. O pacote de 500 g custava R$ 2,30 em 2019, e agora o preço médio do produto está em R$ 4,63.

A oferta de feijão-carioca, o tipo preferido do consumidor brasileiro, está menor em 2022, e os preços, mais altos. Com isso, o setor produtor já vê uma migração do consumo para outras variações, principalmente para o feijão-preto. Enquanto esse tipo está custando acima de R$ 10, o preto ainda pode ser achado no varejo por R$ 6 ou R$ 7 no pacote de 1 kg.

Via Jornal O Tempo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.