Compartilhe:

Na manhã desta quinta (20), o gestor do Circuito Trilha dos Inconfidentes, Marcus Januário, esteve em Barroso, juntamente com o organizador do evento Cicloturismo Oeste de Minas, Luiz Carlos Pereira Júnior, para analisar o trecho da antiga Estrada de Ferro Oeste de Minas (EFOM) abaixo da cidade até o chamado km 58. A ideia da visita foi averiguar a viabilidade de recuperação do trajeto original para finalidades turísticas, em especial do cicloturismo, que integra o projeto batizado de Rota B-76, tema de reportagem do Notícias Gerais no último final de semana.

O projeto visa sinalizar todo o trecho entre Antônio Carlos e Ibituruna, totalizando cerca de 190 km de extensão, para fomentar o ecoturismo e turismo esportivo. Assim, ciclistas, corredores e caminhantes poderiam usufruir do trajeto quase completo por onde passava a Maria Fumaça.

A primeira etapa deverá abranger os 80 km entre Antônio Carlos e Tiradentes, passando por Barroso. O trecho visitado nesta quinta tem cerca de 10 km de extensão e está bastante tomado pelo mato alto e também foi desviado do leito original em algumas partes, o que vai demandar um trabalho maior para recuperação. Muitos dos pontilhões para passagens sobre córregos também não existem mais, o que vai demandar o desvio do trajeto ou a construção de algum tipo de passagem.

De acordo com Marcus, o estudo da viabilidade é o primeiro passo, e, além de verificar as condições do percurso, será averiguada a situação em relação à ocupação por proprietários de terras, o que vai demandar um diálogo com eles para que seja liberado o percurso para passagem e manutenção permanente.

Ele conta que o trabalho também vai apontar a quantidade e o tipo de sinalização necessária em cada trecho e os pontos onde serão instaladas as chamadas bike stations: pontos para descanso e orientação dos transeuntes, com mapas e informações de localização.

Marcus destaca que a compra das placas de sinalização será feita pelo próprio circuito, mas que poderá ter apoio de empresas que estejam interessadas em fomentar o setor e, consequentemente, ter publicidade junto a iniciativa.

O organizador do Cicloturismo Oeste de Minas, Luiz Carlos Pereira Júnior se dispôs, juntamente com sua equipe, a auxiliar na limpeza do trajeto e na instalação da sinalização, quando o trabalho for realizado.

O próximo trecho a ser analisado será entre Barroso e Campolide, com pouco mais de 30 km, onde serão averiguados os pontos críticos, que demandarão um trabalho além da simples sinalização.

Wanderson Nascimento
Notícias Gerais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *