Vereador Anderson entra com pedido de CPI contra a administração de Reinaldo

Compartilhe:

O vereador Anderson Geraldo de Paula (PP), líder da bancada de minoria, entrou nessa segunda-feira (9), na Reunião Ordinária da Câmara Municipal de Barroso, com um pedido  de CEI (Comissão Especial de Inquérito) contra a atual administração pública. Leone Nascimento (PP) e kiko do Bedeschi (PHS) também assinaram o documento que durante a reunião teve o apoio dos vereadores Állan Campos (PSDB) e João Campos, o Golô (PDT). 

De acordo com os documentos entregues a presidência da Casa, existem possíveis irregularidades nos eventos realizados neste ano de 2019; Réveillon, Pré e Carnaval. Segundo o vereador, depois de consulta ao Portal da Transparência, no site da Prefeitura, e site da Associação Mineira de Municípios (AMM), foi detectado que em nenhum momento a Prefeitura realizou os trâmites legais de licitação para o uso de espaço público no que diz respeito a praça de alimentação nestes eventos. E mais, Anderson disse que o Executivo também não respondeu os requerimentos/questionamentos feitos pela Câmara. 

“Isso nos preocupa porque está se tornando rotina no Executivo realizar despesas sem o parâmetro legal. Fomos procurados no decorrer destes eventos por pessoas que queriam a concessão do espaço e em nenhum momento tinha uma tabela de preço ou menos quem podia participar. A Prefeitura determinou quem ela gostaria que estivesse ali usufruindo de uma coisa que é pública, de um espaço público”, diz Anderson durante a Palavra Livre que também acrescentou que foi procurado por um comerciante/barraqueiro.

“Um destes barraqueiros veio falar comigo e disse que um funcionário da Prefeitura lhe procurou antes de começar o Carnaval dizendo que o valor é x, e se a pessoas não quisesse tinha mais gente que queria. Não é este o procedimento e isso vem nos preocupando”, relata Anderson que disse também os eventos viraram o Samba do Crioulo Doido.

Ainda de cordo com o vereador, a CPI ganhou forças com um recibo, provavelmente assinado por um funcionário da prefeitura que teria recebido o aluguel do espaço público no Carnaval. “Ainda está no corpo do recebido de R$380 o prolongamento das festividades do Carnaval. Como que um funcionário prolonga o aluguel de uma barraca e recebe o dinheiro sem dar entrada nos cofres públicos? Portanto, devido a falta de documentos enviados pela Prefeitura e essas denúncias e possíveis provas e que estamos pedindo a instalação desta CPI”, diz que Anderson que reforça que ele mesmo viu, durante o Carnaval, um funcionário da Prefeitura indo receber os valores do barraqueiro. 

Anderson diz que a CPI é uma oportunidade de ouvir as pessoas envolvidas e ao final chegar a conclusão de que foram realizadas diversas irregularidades. “Mas só podemos dizer isso depois de apurado. Não temos como aqui hoje julgar ninguém. Estamos simplesmente, pedindo para apurar estes fatos sério, ainda mais com essa cópia do recibo que está anexada aos documentos”, conta. 

A Prefeitura foi questionada através da sua assessoria de imprensa e tão logo responda os questionamentos a reportagem divulgará a posição do Executivo. 

 OUTRA CPI

Também consta na Casa um pedido de abertura de CPI do vereador Állan Campos (PSDB). Os documentos em anexo ao pedido foram entregues ao Legislativo nessa segunda-feira. 

De acordo com o Presidente Eduardo Pinto (PV), com os documentos em mãos, de ambos os requerimentos, a Casa encaminha nesta terça-feira (9) para análise da assistência jurídica da Câmara Municipal os documentos e em seguida serão tomadas as atitudes que cabem para a abertura das Comissões. 

 

2 Comentários

  1. O vereador apresentou documentos que nós levam a intender possíveis irregularidades. Parabéns aos vereadores que, juntamente com ele assinaram o CEI, pois acreditamos haver muitas coisas a serem corrigidas, e que possivelmente o administrador possa não estar sabendo.

  2. Depois de mais de 30 anos de trabalho em serviço público, aprendi que em serviço público não há quem erra, há quem conserta. Portanto, quando se percebe um erro, este jamais poderá ser usado para justificar um erro posterior. Parabenizo a todos os vereadores que juntos assinaram o pedido CEI. Esta é a função do vereador, FISCALIZAR. O poder público tem que ser imparcial, em momento algum ele poderá beneficiar este ou aquele munícipe. Todos precisam ter garantidos seus direitos e serem tratados com igualdade, independente do seu lado político. Mais uma vez a Câmara de vereadores se destacando.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *