Compartilhe:

O último reajuste do servidor público em Barroso aconteceu no ano de 2015, ainda quando a prefeita da cidade era Eika Oka de Melo (PP) e estava no seu terceiro mandato. Na ocasião, Eika, que havia sido reeleita, tornou-se chefe do executivo pela terceira vez e concedeu, ao longo do seu mandato – 2013/2016 – o reajuste salarial aos servidores públicos do município.

O então Secretário de Finanças da Prefeitura, hoje vereador na cidade, Luiz Gonzaga Moreira (PP), relembra o reajuste daquela época. “Muitos reclamavam na época porque dávamos o reajuste de 5%, e veja como são as coisas, depois disso, nem os 5% os servidores conseguiram”, conta Luizinho que era o secretário da época. O reajuste foi de 5% aos servidores efetivos, comissionados, contratados, pensionistas e aposentados. A lei é a de número 2.607, de 24 de março de 2015.

O assunto foi tema do colunista do barrosoemdia, o advogado Gian Brandão, na edição do jornal impresso de fevereiro, e um dos mais comentados nos últimos meses na cidade. “Agradeça ao Gian para nós, funcionários que não temos reajustes há anos. Até que enfim alguém se lembrou de nós. Só não coloca meu nome porque tenho medo de ter problemas”, diz um funcionário público que ficou agradecido pela coluna que falava justamente da falta de valorização do servidor público de Barroso.
Outro vereador que também falou sobre o reajuste salarial do servidor público foi o vereador Kiko do Bedeschi (DEM) que, através de Requerimento, pediu ao executivo que realizasse estudos orçamentários e impacto financeiro conforme lei de responsabilidade fiscal, afim de se fazer uma possível recomposição salarial dos servidores públicos municipais do quadro da prefeitura, para o ano de 2022. O Requerimento, aprovado por unanimidade pelos demais vereadores, foi feito no último 17 de fevereiro. “Sabemos da crise financeira que estamos enfrentando em âmbito mundial, o que afeta diretamente nosso país, seus estados e municípios. No entanto, os servidores públicos estão com seus salários defasados há tempos, necessitando ao menos da recomposição salarial. Conto com o apoio dos nobres edis, bem como do ilustre Prefeito Municipal, para com esta justa e coerente reivindicação”, traz trecho do documento do vereador Kiko.

REAJUSTE GERAL

Quando se trata de reajuste de todo o funcionalismo público do executivo, a situação é ainda pior. Segundo apuração da reportagem do barrosoemdia, o reajuste geral aconteceu em 2004, quando também Eika era prefeita e concedeu cerca de 8% de aumento para todos os funcionários. “Fica concedido o reajuste de 8,33% (oito vírgula trinta e três por cento) nos vencimentos mensais dos Servidores Municipais constantes do quadro geral desta Prefeitura, bem como, dos quadros de provimento de confiança”, diz trecho da lei 1995, de 7 de julho de 2004. Julho de 2004 também é a data do último reajuste salarial dos vereadores de Barroso. O último aumento dos edis aconteceu há 18 anos.

PREFEITURA

A reportagem do barrosoemdia entrou em contato com a Assessoria de Imprensa do executivo para saber sobre um possível estudo, impacto financeiro, para que um reajuste possa ser dado ao servidor público, mas, até o fechamento desta edição – 7 de Abril às 12h – não recebeu resposta.

PROFESSORES

O Prefeito Anderson sancionou e promulgou o aumento salarial dos profissionais da educação básica de Barroso. A lei estipula o valor do vencimento básico inicial para os profissionais do Magistério Público da Educação Básica para a carga horária de 40 horas semanais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.