Compartilhe:

Mais uma espécie de libélula foi descoberta em Barroso. A nova espécie foi coletada em março de 2021 na Cachoeira do Padeiro, durante o projeto de pesquisa cuja o objetivo era conhecer a fauna de insetos, aracnídeos e anfíbios da Lajinha, Mata do Baú e Cachoeira do Padeiro.

A espécie foi descrita pelo Doutor Diogo Vilela, da Universidade de São Paulo (USP) e pelo professor e biólogo barrosense Marcos Magalhães, do IFSULDEMINAS, Campus Inconfidentes. O artigo foi publicado em fevereiro deste ano na revista científica Zootaxa.

O inseto recebeu o nome de Progomphus Teolitavius e é, segundo o professor, uma homenagem aos seus três filhos. “Recebe o nome em homenagem a meus três filhos”, conta Marcos que comemorou a descoberta.

“Esse relato deixa claro a necessidade urgente da criação da unidade de conservação no município, que é vital para conservação do que ainda resta de campos e florestas da região”, explica o barrosense que sempre acreditou no potencial da região.

As outras duas espécies foram descobertas na Mata do Baú em 2010 e receberam o nome de Heteragrion thais e Heteragrion cyanea. “Isso mostra a necessidade urgente de proteger esse patrimônio biológico. Me pergunto o que perdemos antes mesmo de conhecer frente ao histórico de desmatamento do município e região desde o século XIX”, diz Marcos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.