Compartilhe:

Duas escolas em São João del-Rei, a Estadual Cônego Osvaldo Lustosa, e a Municipal Pio XII, podem adotar o programa das Escolas Cívico-Militares, iniciativa dos Ministério da Educação e da Defesa. A proposta apresenta um conceito de gestão nas áreas educacional, didático pedagógica e administrativa com o apoio de militares.

Nessa quarta (03), aconteceu uma reunião com o Executivo são-joanense para a apresentação do Programa ao município. A reunião aconteceu na casa do prefeito Nivaldo de Andrade (PSL) e contou com a presença do vereador e presidente da Câmara Municipal, Stefânio Pires, a secretária municipal de educação Cintia Leite, Kelma Costa e Sargento Laureni Costa, coordenadores da ABEMIL-MG – Associação Brasileira de Educação Cívico-Militar-, juntamente com secretária Maura Costa.

A escola escolhida nesta reunião foi a Municipal Pio XII. Anteriormente, o Deputado Coronel Henrique (PSL) esteve na Escola Cônego Osvaldo Lustosa no dia 16 de janeiro. O parlamentar fez uma emenda parlamentar no valor de R$ 25 mil reais para aquisição de materiais de informática.

Alguns dias após a visita do parlamentar, a Escola conhecida popularmente como ‘Estadual’ convocou uma consulta pública sobre a adoção do Programa. A consulta foi aberta no dia 1º de fevereiro e tem prazo até hoje (04) para votação. Ontem, a Estadual realizou uma live através de suas redes sociais para apresentar e esclarecer dúvidas sobre o Programa e, segundo a Escola, irá divulgar o resultado da votação ainda hoje.

A implementação do Programa tem apoio de parlamentares de São João del-Rei. Sobre a Cônego Osvaldo Lustosa, os vereadores Igor Sandim (Podemos) e Fabiano Pinto (DEM) gravaram vídeos convidando a comunidade a votar sobre a implementação da Escola Cívico-Militar. Em relação à Escola Municipal Pio XII, o vereador e presidente da Câmara Municipal, Stefânio Pires (PSL), esteve pessoalmente na reunião de apresentação do Programa ao Executivo.

Segundo o deputado estadual Coronel Henrique, no modelo de ensino Cívico-Militar, os professores continuam responsáveis pelo trabalho desempenhado nas salas de aula. Já os militares inativos das Forças Armadas, vão trabalhar no auxílio à infraestrutura e à administração das Escolas, assim como na melhoria da educação, transmitindo valores como disciplina, respeito e ética aos alunos.

O Programa das Escolas Cívico-Militares tem como objetivo contemplar 54 escolas no país, sendo 40 estaduais e 14 municipais. De acordo com dados do Ministério da Educação, no modelo Cívico-Militar, a taxa de abandono escolar é 77% menor; a reprovação é 37% menor; o nível do IDEB é 20% maior; e a taxa de alunos na idade certa é 50% maior.

Com informações do Pop News.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *