Compartilhe:

Uma matéria do G1 Zona da Mata, mostra que Barroso, com cerca de 20 mil habitantes, porém com um grande crescimento de casos nos últimos dias, não está apta a ir para a chamada Onda Amarela das novas diretrizes do Programa Minas Consciente.

Foi decidido pelo Estado que cidades com menos de 30 mil habitantes poderão avançar automaticamente para a onda amarela, independente da situação das macro ou microrregiões que estão inseridas.

Como é o caso de Alto Rio Doce, Antônio Carlos, Capela Nova, Cipotânea, Desterro do Melo, Dores de Campos, Entre Rios de Minas, Ibertioga, Lagoa Dourada, Paiva, Piranga, Prados, Ressaquinha, Santa Bárbara do Tugúrio, Santa Rita de Ibitipoca, Senhora dos Remédios, Canaã, Arantina, Belmiro Braga, Bicas, Bom Jardim de Minas, Brás Pires, Chácara, Coronel Pacheco, Descoberto, Dona Eusébia, Dores do Turvo, Estrela Dalva, Guarani, Guarará, Guidoval, Itamarati de Minas, Laranjal, Mercês, Miradouro, Olaria, Orizânia, Pequeri, Piau, Recreio, Rio Novo, Rio Pomba, Rochedo de Minas, Santa Bárbara do Monte Verde, Santa Rita de Jacutinga, Santo Antônio do Aventureiro, Tabuleiro e Volta Grande.

Esses municípios, que agora estão autorizados a abrir serviços não essenciais, como bares e restaurantes, registraram menos de 50 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias.

O que não é o caso de Barroso, que nas duas últimas semanas, registrou um aumento de 20 casos, ou seja, pelou de 84 para 101 positivos. As novas diretrizes do Programa não leva em conta o número de curados. Assim, o Estado informou que apesar da macrorregião e microrregião poderem passar para a onda amarela, a cidade não está apta a fazer o mesmo.

Em contato com o Prefeito Reinaldo Fonseca (PSDB), o mesmo informou que a cidade não está apta por causa da proporção de infectados. “Por essa razão que estou aguardando os novos protocolos”, diz Reinaldo que vai se posicionar tão logo seja divulgado os novos protocolos.

Desta forma, a cidade continuaria na chamada Onda vermelha, onde só está autorizada a abertura dos seguintes serviços:

  • Supermercados, padarias, restaurantes, lanchonetes, lojas de conveniência;
  • Bares (somente para delivery ou retirada no balcão);
  • Açougues, peixarias, hortifrutigranjeiros;
  • Serviços de ambulantes de alimentação;
  • Farmácias, drogarias, lojas de cosméticos, lavanderias, pet shop;
  • Bancos, casas lotéricas, cooperativas de crédito;
  • Vigilância e segurança privada;
  • Serviços de reparo e manutenção;
  • Lojas de produtos de informática e aparelhos de comunicação;
  • Hotéis, motéis, campings, alojamentos e pensões;
  • Construção civil e obras de infraestrutura;
  • – Comércio de veículos, peças e acessórios automotores.

BARES

Porém, desde a noite dessa quarta-feira (5), bares já funcionavam normalmente na cidade de Barroso. Na região central os bares já estão abertos para consumo no local. Outros seguimentos que não encaixam na Onda da qual está Barroso, também funcionam normalmente já há algum tempo.

ONDA AMARELA

  • Bares (consumo no local);
  • Autoescola e cursos de pilotagem;
  • Salão de beleza e atividades de estética ;
  • Comércio de eletrodomésticos e equipamentos de áudio e vídeo;
  • Papelaria, lojas de livros, discos e revistas;
  • Lojas de roupas, bijuterias, joias, calçados, e artigos de viagem;
  • Comércio de itens de cama, mesa e banho;
  • Lojas de móveis e lustres;
  • Imobiliárias;
  • Lojas de departamento e duty free;
  • Lojas de brinquedos.

ONDA VERDE

Nenhuma macrorregião mineira apresentou, até o momento, índices favoráveis para a inclusão na onda verde, que permite a abertura de academias, clubes, cinemas e estúdios de piercings e tatuagens, entre outros serviços.

Para avançar, as cidades precisam estar há 28 dias consecutivos na onda amarela, sem sofrer retrocessos durante esse período.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *