Compartilhe:

Domingo, 28 de março, os Bombeiros de São João del Rei são acionados na Rua João Rezende, no Bairro Solar da Serra. Na localidade, uma mulher de 22 anos informa que deparou com uma cobra de grande porte que estava ao lado do muro de sua residência.

Com o uso de um gancho de captura de serpentes, os Bombeiros conseguiram capturar a cobra e verificaram tratar-se de uma cascavel de cerca de 1,20m. Os Bombeiros capturaram e colocaram a cobra em um tambor e levaram o réptil para ser solto em uma mata fechada, bem distante das áreas urbanas.

Ocorrências como estas têm crescido nos últimos dias e a população tem convivido com uma aparição maior de cobras na região do Campo das Vertentes, principalmente em São João del Rei.

“Na medida em que destruímos os ambientes naturais, eles procuram o refúgio, senão eles morrem”, conta o Biólogo Marcos Magalhães que explica que eles acabam encontrando alimento e refúgio no perímetro urbano.

Somente neste mês de março, a reportagem do Barroso EM DIA apurou que foram seis ocorrências ligadas a aparição de cobras na região. Entre elas, está a mais inusitada, ou seja, uma cobra que apareceu dentro de um restaurante em São João. RELEMBRE!

Jiboia de 3 metros e quase 30 kg é encontrada em um restaurante de São João del Rei

Também há ocorrências parecidas na cidade de Tiradentes, onde também foi capturada uma cascavel. O fato foi no Bairro Pau D’óleo, onde um homem deparou com uma cobra cascavel localizada debaixo do fogão a gás, no interior da cozinha.

Já na Colonia do Marçal, uma moradora deparou com uma espécie de cobra venenosa que se encontrava no seu quintal. Como animal estava imóvel, pois havia acabado de se alimentar (o que é característica desta espécie) os militares não tiveram dificuldades em capturar a cobra e a condicionaram em um recipiente específico e posteriormente soltando-a em uma área longe do perímetro urbano.

Jararaca e Jiboia também já foram capturadas neste mês de março. “Este é um fenômeno que vem ocorrendo no mundo inteiro. Então tem que fazer o resgate e devolver para a natureza”, explica Marcos que reforça que é sempre importante chamar alguma autoridade responsável para  manusear o animal.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *