Compartilhe:

As maiores cidades da Zona da Mata e Campo das Vertentes tiveram saldo negativo para criação de emprego nos quatro primeiros meses deste ano. A informação foi divulgada nessa quarta-feira (27), pela primeira vez neste ano, pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério da Economia.

Com a pandemia do novo coronavírus, que foi decretada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) no dia 11 de março, os estabelecimentos começaram a ser fechados por causa dos efeitos da crise do coronavírus e a curva de geração de empregos ficou descendente.

O pior desempenho entre as regiões, ocorreu em Juiz de Fora, com mais de quatro mil postos de trabalho fechados. Em seguida aparecem Ubá, com menos 765 vagas formais nos primeiros meses de 2020 e, depois, São João del Rei, com um saldo negativo de 667. O município de Barbacena fechou 524 postos de trabalho em 2020. Dores de Campos também tem saldo negativo de -17 empregos. Tiradentes, que vive quase que exclusivamente do turismo, também tem um dos piores números; saldo de -50 e março e -132 em abril. Somente a cidade de Prados é um ponto fora da curva, ao contrário de várias cidades da região, conseguiu gerar, mesmo que apenas sete, sete novos postos de trabalho em abril e 29 em março.

Vale ressaltar é que são informações de empregos formais, com carteira de trabalho assinada por empresas.

BARROSO

Já a cidade de Barroso, que tinha 34 de saldo positivo em janeiro, chegou em fevereiro com -10, voltou a ter saldo positivo em março; 6, mas caiu drasticamente em abril com -35 empregos. Veja na planilha abaixo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *