Compartilhe:

No último sábado (18), foi disputada, em Barão de Cocais, a Cambotas Marathon, competição de corrida de montanha que reuniu os maiores nomes da modalidade de todo o Brasil, sendo considerada a prova de mais alto nível competitivo da história do trail running (corrida em trilha) no país.

Os competidores foram selecionados ao longo do ano, sendo campeões de provas da Super Copa Trail, culminando com a grande final, na Serra de Cambotas, em um percurso único, de 45 km e 2500m de desnível positivo, com trilhas de alto nível técnico e de dificuldade, onde foram premiados os 10 melhores corredores e corredoras de montanha do Brasil.

Entre eles, um barrosense se destacou, em uma disputa acirrada, em que qualquer erro custava colocações importantes na classificação. Wanderson Nascimento, que conquistou sua vaga após vencer uma prova de 36 km em Araxá, conquistou a 6ª colocação geral, com uma distância bem pequena dos adversários, entre eles atletas consagrados, que já representaram o país em vários campeonatos mundiais.

O campeão foi o paranaense Rogério Silvestrin, que foi soberano na prova. Em segundo lugar ficou o cearense Chico Santos, seguido pelo mineiro Ernani Souza e o também mineiro Wellington Noronha. Na quinta colocação, ficou outro cearense Carlos Eduardo, e, em sexto, com o tempo de 5h20, Wanderson garantiu seu lugar entre os 10 melhores do Brasil, com uma diferença de 6 minutos do segundo colocado.

Completaram o pódio Caio Lima, Daniel Meyer, Vicente Machado e Jefferson Dias.

O barrosense afirma que foi muito gratificante correr entre os melhores do Brasil, e conseguir se destacar entre suas grandes referências, verdadeiros ídolos no esporte. “Eu segui à risca minha estratégia, de forma progressiva, larguei mais conservador, fui estudando os adversários, e buscando cada um, até chegar no top 10, e, depois, ganhando mais posições, até finalizar em 6º, que já foi algo surpreendente, tendo em consideração que foi a prova mais forte da história do trail running no Brasil”, declara.

De olho no mundial

Wanderson terá como foco, na próxima temporada, a disputa das seletivas para o campeonato mundial, que será disputado na Tailândia, no segundo semestre de 2022. “Desde o último mundial, em 2019, venho me preparando e ganhando experiência para conquistar uma vaga na seleção brasileira, e meu desempenho e resultado na Cambotas Marathon me mostrou que tenho potencial para ocupar uma vaga. Vamos com força total em 2022”, declara o atleta, que tem como técnico o ultramaratonista Raphael Bonatto, de Curitiba.

Mesmo com uma temporada atípica, iniciando no segundo semestre, Wanderson colecionou excelente resultados em 2021, como o 1º lugar na Forrest Run, em Araxá, e o segundo lugar no Desafio das Serras (42 km) em São Bento do Sapucaí, e no Desafio Brou 5 horas, em Sete Lagoas.

O atleta vem se destacando na modalidade há alguns anos, com resultados expressivos em provas no Brasil e na Argentina, onde foi campeão do Mountain do Fim do Mundo e vice-campeão do Ushuaia by UTMB, nas distancias de 42 e 50 km, respectivamente, em provas disputadas sobre as montanhas com neve.

FEMININO

No feminino, a paranaense Letícia Saltori foi a campeã, seguida pela mineira Cida Cunha, e a capixaba Diana Bellon. Lara Martins, Patrícia Santos, Mariana Scarpelli, Elizete Tavares, Fátima Baltazar, Denise Maia e Rosa Kuglin completaram o pódio.

1 comentário

  1. Wanderson é um diamante mineiro que está sendo lapidado, não ficarei surpreso em vê-lo muito em breve alinhado em um mundial defendendo nosso Brasil.
    #avante Wanderson

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.