Compartilhe:

Ao lado dos números trágicos de mortos pelo coronavírus, a pandemia trouxe outro cenário preocupante para a maioria dos países: o crescimento da população em extrema pobreza.

Na América Latina, segundo a Comissão Econômica para América Latina e Caribe (Cepal), o primeiro ano de pandemia terminou com 78 milhões de pessoas em situação de miséria. No Brasil, são cerca de 14 milhões de famílias abaixo da linha de pobreza, e mais de 1 milhão dessas famílias estão em Minas.

Para atender essa população tão necessitada, a Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) aprovou um benefício emergencial de R$ 600 a ser pago no mês de agosto, quando está previsto o fim dos auxílios pagos pelo governo federal.

O auxílio, que ganhou o nome de Força Família, está previsto no programa Recomeça Minas, aprovado em abril na ALMG e sancionado pelo governador Romeu Zema (Novo) no mês passado. Além de incentivos fiscais a empresas e descontos nas dívidas, o texto traz benefício financeiro à população carente.

O valor de R$ 600 será pago em parcela única às famílias em situação de extrema pobreza. Terão direito ao recurso pessoas que estejam registradas no Cadastro Único para Programas Sociais do governo federal (CadÚnico) como responsáveis por domicílio em Minas e que tenham renda per capta mensal de até R$ 89. A data limite para o pagamento é 1º de agosto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *