Compartilhe:

A Associação Mineira de Municípios (AMM) encaminhou ofício nessa quinta-feira (18) ao presidente do Congresso Nacional, senador Rodrigo Pacheco; ao líder da bancada mineira na Câmara, deputado Diego Andrade; e ao presidente da Confederação Nacional de Municípios, Glademir Aroldi, contextualizando a crítica situação e solicitando que intercedam no Ministério da Saúde para que seja priorizada a liberação de recursos de emendas parlamentares destinados aos fundos municipais de saúde.

Já nessa sexta-feira (19), a AMM enviou ofícios ao presidente da República e ao Ministério da Saúde, ratificando o estado de extrema emergência e pedindo soluções imediatas para suprir essas carências, reforçando a aquisição de insumos e medicamentos e o envio aos municípios.

“É inaceitável assistirmos brasileiros e brasileiras em total desespero e morrendo por afogamento no seco ou que, conscientes, fiquem em deplorável situação de intubação em, muitas vezes, interminável permanência hospitalar”, informou a entidade.

OXIGÊNIO

Um levantamento feito pela Frente Nacional de Prefeitos (FNP) indica que pelo menos 76 cidades brasileiras podem sofrer nos próximos dias com a falta de oxigênio para tratar pacientes com Covid-19. Dessas, 16 estão localizadas em Minas Gerais.

Conforme reportagem do portal G1, a entidade enviou questionários a cerca de 2,5 mil das 5.570 prefeituras do país Destas, 574 responderam entre essa quinta (18) e sexta-feira (19).

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *