A história não pode ser esquecida!

Compartilhe:

A nossa velha e péssima mania de esquecer a dor, as cicatrizes, a história, a própria história. Um povo que não tem memória não tem vida, não tem destino, não tem vitória. Não podemos aceitar, nós, mas principalmente nossos representantes no poder, que se perca no tempo a luta de homens que fizeram a diferença em prol do nosso município.

Geraldo Napoleão de Souza não é apenas mais um na multidão. Foi nosso primeiro prefeito que, apesar de ter um busto na principal praça do município, insiste em ser esquecido pelos ignorantes e desavisados. Não só ele, mas homens como Gustavo Meireles, Salomão Barroso, Antônio da Costa Nogueira e tantos outros que contribuíram para que nos tornássemos uma cidade, jamais poderiam ser esquecidos, apesar de governantes fazerem tal esforço.

A Prefeitura, no auge da sua inocência, sequer mencionou o fato em seus informativos ou postagens em mídias sociais, uma foto emblemática que fosse, do seu primeiro governante, aquele que lutou para que essa casa, hoje habitada pelo esquecimento, tivesse, como todos nós temos, o gentílico barrosense, alcunha de orgulho que carregamos e que muitos levam pelo Brasil e mundo afora. Não existe outro adjetivo a não ser lastimável.

A parede do esquecimento e da ignorância está concretada com um cimento de qualidade que nós do jornalismo tentamos, todos os dias, quebrar, com ferramentas simples e eficazes como educação, lembrança, valorização e prestígio. Não é fácil e não será, nunca, mas insistiremos em dar valor a quem de fato merece. Obrigado, Geraldo Napoleão de Souza.

No último dia 21 de abril foram completados 30 anos da morte deste homem que tanto fez por nós assim como grandes outros líderes. No dia 26 de abril também foram 110 anos do nascimento deste símbolo. E mais, 40 anos da edição do livro Subsídios para a História do Município, escrito por ele, e 65 anos da eleição como Prefeito, ou seja, motivos não faltaram. O que falta mesmo é reconhecimento!

por Bruno Ferreira

1 comentário

  1. Obrigado pela menção ao papel desempenhado pelo meu pai no processo de emancipação de Barroso e como primeiro prefeito do Município. Parabéns pelo texto e pelo destaque dado à importância de se conhecer a história do Município e dos personagens que deixaram seu legado em benefício de todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *