Compartilhe:

Sustentabilidade ultimamente tornou-se um princípio segundo o qual o uso dos recursos naturais para a satisfação de necessidades presentes não pode comprometer a satisfação das necessidades das gerações futuras. Este novo princípio foi ampliado para a expressão ”sustentabilidade no longo prazo”, um ”longo prazo” de termo indefinido.

De forma mais clara, a sustentabilidade também pode ser definida como a capacidade do ser humano preservar o meio ambiente para não comprometer as gerações futuras. Como contraponto ao cenário de exploração não consciente de recursos naturais, a sustentabilidade está alinhando à uma crescente demanda por marcas e produtos mais transparentes, éticos e sustentáveis.

Trabalhar em cima de transformações na maneira como pensamos, agimos e consumimos é crucial. O ”Eco-friendly” é  um termo em inglês cuja tradução significa “amigável ao meio ambiente” e se refere a algo que não causa danos
socioambientais ou tem impactos reduzidos em comparação a um produto, evento, situação ou postura equivalente. Procurar pelo termo eco-friendly ao adquirir algo já é um grande passo! Desde calçados e roupas, a comidas, móveis,
cosméticos, etc.

Outro termo famoso é “descascar mais e desembalar menos”, evitando os industrializados, já que a poluição emitida pelas indústrias favorece o aquecimento global e afeta a qualidade do ar que respiramos, além do grande volume de lixo das embalagens provenientes de tais industrializados. Cultivar uma horta em casa já é mais um grande passo!

E que tal utilizar ecobag, que é uma sacola reutilizável no lugar das sacolas plásticas, pois evita o descarte incorreto do plástico que polui o meio ambiente e leva centenas de anos para se decompor? Adotar a mesma postura com os
canudos plásticos, que podem ser trocados pelos reutilizáveis. Ou encorajar o consumo de alimentos orgânicos, livres de agrotóxicos, devido aos impactos ambientais que eles causam, contaminando o solo e a água, além de serem
nocivos à saúde humana?? Pode-se também fazer coleta seletiva… enfim, o caminho é longo e exige união de todos.

A título de curiosidade, tais atitudes também se estende a medidas para tornar as Olimpíadas de Tóquio 2021 um evento menos danoso ao meio ambiente: as 18 mil camas da Vila Olímpica são feitas de papelão reciclável, a tocha olímpica trará resíduos de alumínio recuperados de habitações temporárias para as vítimas do tsunami de 2011, os pódios serão montados com plástico reciclado (parte dele retirado do oceano), e até as medalhas que terão ouro, prata e bronze provenientes de aparelhos eletrônicos desmontados cujo destino era virar lixo.

A sustentabilidade é uma ferramenta de transformação em que se espera que por meio dela indivíduos e comunidades sejam atingidas positivamente, mas a mudança só será efetiva quando for pensada de forma sistêmica.

Entender que todos fazemos parte da solução e temos nela um papel fundamental. Precisamos repensar nossa responsabilidade individual com o planeta, em que ou mudamos nossos hábitos de consumo de forma consciente ou teremos que fazer isso da forma mais dura, quando faltar recursos e os problemas ambientais se multiplicarem para nós ou nossas gerações.

por Ana Roberta Melo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *