UM ANO SEM ARNÔ

IMG_6153Há exatamente um ano, estava sendo sepultado, no cemitério paroquial, o corpo do ex-prefeito de Barroso, Arnaud Baldonero Napoleão, o Arnô, que faleceu no dia 18 de maio, aos 59 anos, em Belo Horizonte. Na ocasião, milhares de pessoas, entre amigos, familiares e autoridades, passaram pelo ginásio do Ceclans, onde foi velado o corpo, para dar o último adeus ao homem que governou a cidade nos anos de 2005 a 2008.

Arnô morreu, por volta das 23 horas, da sexta-feira (18), na capital. Na terça-feira (15), Arnô havia sentido mal na Universidade de São João del Rei (UFSJ), onde era Coordenador do Curso de Administração, e foi encaminhado para a Santa Casa de Misericórdia da cidade e, em seguida, para Belo Horizonte, sendo então submetido a um cateterismo. Segundo familiares, Arnô passou por uma cirurgia no Hospital Vera Cruz, mas não resistiu e faleceu. O ex-prefeito deixou a esposa Wanderléia Napoleão, hoje vereadora, e dois filhos.

Naquela oportunidade, o corpo havia chegado a Barroso em comboio, por volta das 14h, do (19), e foi direto para a Chácara da família Napoleão, onde familiares e alguns amigos íntimos aguardavam sua chegada. A urna foi colocada em frente à capelinha construída no local e, após alguns momentos de muita emoção, choro e orações, a família achou por bem que o corpo do ex-prefeito visitasse pela última vez a sua residência.

Em seguida o corpo do ex-prefeito foi levado para o ginásio do Ceclans e velado durante todo o sábado e a manhã de domingo. Milhares de pessoas passaram pelo ginásio para se despedir do ex-prefeito de Barroso. Antes de seguir para o cemitério municipal, foi celebrada Missa de Corpo Presente. Após a Missa, Arnô foi homenageado por líderes religiosos, políticos, amigos, além de uma cerimônia da Loja Maçônica Estrela de Barroso, da qual o ex-prefeito fazia parte. O irmão de Arnô, o também ex-prefeito, Baldonedo Arthur Napoleão, agradeceu as homenagens e as pessoas que estiveram presentes. A Banda Municipal de Barroso também rendeu homenagens ao ex-prefeito, executando uma das músicas preferidas de Arnô, “My Way”, de Frank Sinatra.

No outubro seguinte, o “lado” político do ex-prefeito perdeu a eleição. Reinaldo Gambá (PSDB), indicado inclusive por Arnô como candidato a cargo de prefeito, teve apenas 271 votos a menos que Eika Oka de Melo (PP), atual Prefeita da cidade. A oposição conseguiu eleger apenas três vereadores: a viúva de Arnô, Deléia, vereadora mais votada da história com mil e 291 votos, Tonho e Jaime Nogueira, que hoje representam a oposição na Câmara.