Compartilhe:

Política não é um jogo de futebol e não deve ter torcida, dentro dela deve haver apoios a projetos de administração pública. Quando se torce para um time estamos sempre ligados a paixão quase inexplicável por um time, torcemos mesmo nas maiores adversidades e mesmo com o time nas piores condições não cogitamos em momento algum mudar de time. Na política não funciona assim, como é baseada em projetos, existem aqueles novos e os que já não fazem sentido dentro do contexto atual, sendo assim não existe problema algum em mudar de ares e apoiar um projeto diferente daquele que se apoiou no passado.

Na política devemos sempre avaliar as melhores condições dentro do melhor contexto e os melhores projetos apresentados para melhorias de nossa cidade, portanto, é necessário que cada vez menos estejamos ligados a ligações passionais na hora de escolher os candidatos que apoiaremos. Amizade é fator importante, claro, mas não há problema algum em ser amigo de uma pessoa e não apoiar o mesmo projeto político que ela, saber diferenciar as coisas necessita maturidade e diálogo, algo fundamental dentro da construção política.

Diferentemente de um jogo de futebol de nosso time onde antes mesmo da partida iniciar já temos nossa preferência definida, em política precisamos esperar o período de campanha para avaliar os projetos apresentados, ou se estamos filiados a um partido precisamos construir um discurso que seja sincero e fiel aos ideais que se acredita e apresentar de forma clara para se eleger como representantes da população.

Os clubes no futebol são instituições privadas e os seus interesses são particulares, e mesmo buscando sempre ouvir e representar sua torcida a palavra final é sempre dos dirigentes. Na política é diferente, os interesses privados devem ficar distantes do dever de representar a vontade pública dentro das necessidades gerais da população, seja ela parte do grupo de apoiadores ou não.

Representar o povo não é tarefa simples e carrega muito mais responsabilidade, o vereador da menor cidade tem mais responsabilidade sobre os ombros que o jogador mais importante de qualquer grande clube no mundo. O jogador que perde uma partida causa uma tristeza momentânea, o vereador que toma uma decisão errada pode acarretar com a falta de alimentos, saúde e educação para a população, por isso, jamais devemos trocar alegrias momentâneas por projetos que podem influenciar ao longo de anos inteiros da vida cotidiana.

Todos temos nossas paixões, assim como possuímos nossos projetos para uma cidade melhor e devemos procurar candidatos que se aproximam do que acreditamos dentro de um projeto político sólido e sincero apresentado pelos candidatos aos cargos públicos de nossa cidade. Dentre as poucas semelhanças com o futebol está o fato de que jogadores já conhecidos estão ultrapassados e não cabem mais nos esquemas táticos, ou seja, discursos políticos velhos não se encaixam mais na política da cidade e precisamos estar atentos a todos aqueles que se apresentam como jovens promessas, mas na verdade estão mais rodados que o conhecido jogador Paulo Baier.

por Túlio Henrique

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *