Por falta de caixa, mais de 70% dos 853 municípios mineiros não vão conseguir arcar com o 13º salário dos funcionários. E a solução, que seria o pagamento de um Auxílio Financeiro aos Municípios (AFM) no valor de R$ 4 bilhões, pleiteado pelos deputados federais junto ao presidente Michel Temer, pode não sair do papel.

De acordo com o vice-presidente da Câmara dos Deputados, Fábio Ramalho (PMDB-MG), a equipe econômica do governo ainda fará um levantamento para saber se há dinheiro disponível. “A equipe econômica manda no governo. Vamos levar os números à União, mas não podemos garantir que a verba saia porque não sabemos se ela existe”, disse Ramalho durante reunião de prefeitos realizada na sede do Conselho Regional de Economia e Agronomia de Minas Gerais (Crea-MG), ontem.

O cenário atravessado é pior do que o verificado em 2016, quando a economia andava a passos ainda mais lentos. Naquela época, conforme levantamento da Associação Mineira de Municípios (AMM), 51,5% das cidades não teriam como arcar com o 13º. A solução chegou no apagar das luzes, quando o governo federal anunciou o programa de repatriação, responsável por injetar R$ 169,9 bilhões no cofres brasileiros. Como reflexo, R$ 601,3 milhões foram repassados aos municípios mineiros, segundo levantamento da Confederação Nacional dos Municípios (CNM).

ENCONTRO

Participaram de um encontro na Assembléia Legislativa 301 prefeitos, 211 vereadores, 17 vice-prefeitos, 13 deputados federais e seis deputados estaduais. Os três senadores mineiros não compareceram.

Na avaliação do presidente da Associação Mineira de Municípios (AMM), Julvan Lacerda, os gestores novatos terão mais problemas no fechamento do caixa. “Houve troca de 70% dos prefeitos. Quem conseguiu a reeleição preparou melhor o caixa. Porém, quem entrou agora teve mais problemas”, afirmou.

BARROSO

Em Barroso, a metade do 13º salário já foi paga, adiantamento, em julho. Sobre o restante, diante da declaração da AMM de que 70% dos municípios podem não pagar o salário final, a reportagem entrou em contato com a Assessoria de Imprensa da Prefeitura, questionando se o pagamento seria feito, mas não obteve respostas.