GRANDE obra, ENORMES problemas

A Avenida Carlos Alberto Moura Pereira da Silva, popularmente conhecida como “Avenida do Canal”, vista de cima, é imponente. De perto, a dimensão dos problemas é enorme.

É inquestionável a importância dessa obra, que deveria ligar a Avenida Prefeito Genésio Graçano à Avenida Francisco de Paula Souza, porém, ela tem início, mas termina, sem sequencia, na “cachoeira da lajinha” causando uma série de transtornos.

No inverno, o mau cheiro é insuportável aos transeuntes e, principalmente, aos moradores da sua proximidade; no verão, com as chuvas, o transbordamento inunda as casas e vias públicas; sem muretas de proteção, os acidentes são constantes; e, sem sinalização adequada, em determinada parte, os veículos transitam em duplo sentido em apenas um lado da pista, o que aumenta o risco de colisões.

Infelizmente, uma obra que deveria servir o interesse coletivo, por estar inacabada, tornou-se um problema, um risco para a sociedade que vê, a cada dia, os problemas se agravarem.

Apesar de ser uma situação difícil de solucionar, a gravidade demanda urgência nas atitudes. Os discursos políticos, de “ataques” e “defesas”, de “culpados” e “inocentes”, devem ceder espaços para ações concretas. Acusações alheias não solucionarão os diversos problemas existentes em Barroso por causa dessa e de outras obras inacabadas. Ação é a solução.

É certo que a prefeitura não tinha e continua não tendo condições financeiras para solucionar esse grave problema, mas é necessário, dentro das possibilidades, mantê-lo devidamente limpo.

Portanto, não há outra saída a não ser a união das forças políticas, de todos os partidos do município, na busca de verbas junto aos governos estadual e federal para essa finalidade. O momento é propício: Eleições 2018, ótima oportunidade!

Diante dos fatos, vale ressaltar a importância de a sociedade se envolver e compreender um pouco mais sobre as contas públicas. Só assim teremos condições reais de fiscalizar e cobrar a eficiência dos gastos públicos.

A nossa omissão, de certa forma, nos coloca na condição de coniventes.

“O primeiro passo para combater qualquer problema é encará-lo de frente, olhos nos olhos.”

por Luiz Moreira