A segunda etapa de vacinação do rebanho mineiro contra a febre aftosa está em vigor desde o dia 1º de novembro (quarta-feira). Os produtores rurais terão até o dia 30 de novembro (quinta-feira) para vacinar bovinos e bubalinos de sua propriedade com idade de zero a 24 meses. O produtor que não vacinar o rebanho estará sujeito a multa de R$ 81,28 por animal não vacinado.

A vacinação é obrigatória e é a única forma de proteger os animais contra a doença. A vacinação é importante e o status de área livre de febre aftosa junto à Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), o que tem viabilizado as exportações de animais e produtos de Minas para o mercado internacional.

O Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) – órgão responsável por supervisionar e fiscalizar a vacinação do rebanho – estima que deverão ser vacinados nesta etapa cerca de 9,5 milhões de bovinos e bubalinos em todo o estado.

Declaração obrigatória

Além de vacinar o rebanho os produtores devem obrigatoriamente declarar ao IMA a vacinação dos animais. Caso não faça essa declaração ao Instituto, o produtor estará sujeito a multa de R$ 16,25 por animal.

O IMA estabeleceu que, a partir deste ano, só poderão fazer a declaração de vacinação presencialmente em uma unidade do IMA os produtores que sejam proprietários de até 149 animais. Os demais, com plantel igual ou superior a 150 bovinos ou bubalinos, deverão declarar a vacinação do seu rebanho contra a febre aftosa exclusivamente por meio do site do IMA – www.ima.mg.gov.br. Para tanto, os proprietários devem usar seu CPF e ter em mãos o número da nota fiscal de compra de vacinas, que será a senha de acesso ao ambiente da declaração de vacinação no site.

Especificamente em Prados, o produtor que preferir, pode ainda fazer essa declaração com o Marcinho na Secretaria de Agropecuária.

Cuidados ao vacinar

Os produtores poderão adquirir a vacina nos estabelecimentos autorizados para a venda do produto. Será necessário que apresente, no ato da compra, CPF e carteira de identidade.

O produtor deve conservar a vacina em temperatura adequada, que é de 2 a 8 graus centígrados, adotar boas práticas de vacinação para garantir melhor eficiência na imunização e preferencialmente aplicar em momentos mais frescos do dia como na parte da manhã.

Prados Online