Depois de cerca de um mês de recesso as reuniões ordinárias da Câmara Municipal de Barroso retornaram na noite desta quinta-feira (3).

Na oportunidade, apenas alguns vereadores barrosenses usaram a palavra-livre para falar sobre a votação que aconteceu na Câmara dos Deputados durante quase toda a quarta-feira (2), onde a maioria dos deputados federais votou contra o prosseguimento de investigação do Presidente da República Michel Temer (PMDB).

Confira o áudio de cada vereador na reunião dessa quinta-feira. Eles falam sobre a volta das reuniões ordinárias e sobre a posição dos deputados federais.

EDUARDO PINTO (PV) – Foi o primeiro a falar e anunciou que não apoiará mais o candidato Luiz Fernando (PP).

LEONE (PP) – Não falou sobre a questão política nacional. Deu ênfase a questão dos estudantes e o transporte no município.

KIKO DO BEDESCHI (PHS) – Falou de uma Emenda Parlamentar de R$100 mil para a APAE, mas não entrou na questão política nacional.

ÁLAN CAMPOS – Abordou a questão da política nacional e dos estudantes barrosenses.

GOLÔ (PDT) – Falou também sobre Emendas Parlamentares para Barroso e também anunciou que não apoiará o Deputado Federal Domingos Sávio (PSDB).

GIOVANI GRAÇANO (PPS) – Falou dos deputados que apoiam a APAE Barroso e dos protestos dos caminhoneiros.

VERINHA (PT) – Falou de questões ligadas a Copasa e os Jipeiros. Falou das manifestações e do futuro apoio aos deputados.

 

O vereador Anderson de Paula (PP) não compareceu a reunião por motivos de saúde. E o Presidente Baldonedo Napoleão (PSDB) não fez o uso da Palavra-livre.

DEPUTADOS EM BARROSO

Os deputados federais mais votados em Barroso, com apoio das principais lideranças locais, ajudaram na noite de quarta-feira (2), a manter o Presidente Michel Temer (PMDB) no poder, mesmo depois de todo o escândalo causado pela delação e gravações dos executivos da JBS. Dos 26 que tiveram votos em Barroso e que estão exercendo mandato na Câmara, 11 votaram a favor de Temer, 11 contra e outros 4 não votaram.

Relembre como votou cada vereador e o número de votos que tiveram em Barroso.

Clique aqui

RECESSO DA CÂMARA

O recesso é legitimado pelo Regimento Interno da Câmara Municipal e pela Lei Orgânica do Município de Barroso. O Art. 153 do Regimento Interno destaca que “a Câmara observará o recesso Legislativo nos termos do art.17 da Lei Orgânica Municipal”. Por sua vez, a Lei Orgânica determina, em seu Art. 17, que “a Câmara Municipal reunir-se-á em Sessão Legislativa anual, na sede do Município, em dois períodos legislativos, de 01 de fevereiro a 05 de julho e de 01 de agosto a 31 de dezembro”.