VEREADOR PEDE QUE PREFEITO DE BARBACENA RECONSIDERE DECISÃO SOBRE ÔNIBUS

_MG_0384
Vereador Eduardo Pinto

O Vereador barrosense Eduardo Pinto (PV) encaminhou ao Prefeito Municipal de Barbacena, Antônio Carlos Andrada, com cópia para a Câmara Municipal da cidade vizinha, um ofício solicitando que o chefe do Executivo reconsidere sua posição de proibir que ônibus intermunicipais transitem dentro de Barbacena.

A decisão que consta no Decreto nº. 7.857/2015 assinado pelo Prefeito de Barbacena passará a vigorar a partir do próximo dia 27 de setembro e vai afetar toda a região. Desta forma, os barrosenses só poderão embarcar e desembarcar no Terminal Rodoviário e para se deslocar até o centro da cidade terão que pagar passagem no transporte coletivo local no valor de R$ 2,70 por viagem, além de taxa de embarque na volta para a casa.

“Estamos defendendo que o Prefeito Andrada reconsidere sua decisão pensando nos muitos barrosenses que necessitam trabalhar, estudar e de serviços como Caixa Econômica, INSS, Receita Federal, os quais não temos em nossa cidade. Preferíamos não depender tanto de Barbacena, mas é a segunda maior cidade da Zona da Mata, um polo regional, e essa dependência é inevitável, então que pelo menos nossa população não seja tão prejudicada” defende o vereador.

Na reunião ordinária da Câmara Municipal de Barroso desta quinta-feira os vereadores Fernando Terra (PP), Hélio Campos (PTB), Marli Torres (PP) e Jaime Nogueira (PPS) manifestaram apoio à causa, se mostrando também contrários ao Decreto barbacenense. Estima-se que cerca de 500 barrosense, que usam diariamente os ônibus, sejam prejudicados com a decisão.

A revolta da população é tão grande que muitos estão enviando e-mail e mensagens para as empresas envolvidas.

“Fiquei indignada em saber hoje, que os ônibus da Transur que desembarcam em Barbacena, não poderão mais parar perto da policlínica e padaria onde nós passageiros de Barroso desembarcamos e embarcamos respectivamente ao irmos a cidade vizinha para nos consultar e aqueles que lá trabalham. O desembarque e embarque somente na rodoviária vai nos prejudicar em muito, pois a rodoviária de Barbacena fica no longe do centro e ai consequentemente teremos que arcar com mais despesas ao pagar coletivos para termos que chegar ao nosso destino. Eu em particular que sou passageira diária para são joão del-Rei para trabalhar e que até hoje nao tenho nenhuma reclamação a fazer dessa empresa que presta um bom serviço para nos passageiros,venho aqui deixar minha indignação e espanto ao saber que os donos da empresa “Transur”, estão acatando a essa decisão absurda da prefeitura de Barbacena a qual esta fazendo isso para beneficiar o transporte dentro da cidade, mas não para os passageiros e sim para o dono da empresa Barraca. Sei que meu desagrado com esta decisão não se faz importante, pois sou apenas uma cidadã que vou a Barbacena duas vezes no mês para fazer tratamento de saúde e que meu depoimento em nada vai mudar a decisão de pessoas tão importantes, mas que dependem do nosso suado dinheiro para manter a empresa de vocês. Espero que tomem a decisão certa, pois tenho certeza que nós Barrosenses que precisamos ir a Barbacena com frequencia e ate os que vão para seu trabalho, não vamos nos intimidar em estar compartilhando caronas e com isso deixarmos de usar o serviço da empresa Transur, que ate agora naõ se mostrou tão empenhada em nos ajudar com essa decisão da prefeitura de Barbacena. Será que podemos contar com o apoio de vocês?”, escreveu uma passageira.

Ainda sobre o decreto e as indignações, um protesto aconteceu na cidade de Alfredo Vasconcellos. Um grupo de pessoas reuniu e protestou contra a decisão do prefeito de Barbacena.

A equipe da empresa Transur está batalhando em prol dos passageiros de Barroso e região.

12042197_971204202925196_262909122_n
Foto manifesto em Vasconcellos: Leandro Reis