UFV pede reintegração de posse de pavilhões ocupados por estudantes

A administração da Universidade Federal de Viçosa (UFV) informou, na noite dessa segunda-feira (21), que vai encaminhar à Justiça Federal um pedido de reintegração de posse dos prédios ocupados pelos estudantes.

A decisão aconteceu diante da recusa dos alunos em deixar os pavilhões de aulas (PVA e PVB), mesmo após participarem de uma reunião com o juiz federal, o procurador da República e o procurador federal, também nesta segunda. A Justiça Federal ainda não se posicionou sobre o pedido da Universidade.

A UFV disse ainda que, mesmo com a negativa dos estudantes, tentou estabelecer diálogo mais uma vez, solicitando um novo encontro entre uma comissão formada pelos diretores dos centros de ciências, pelo advogado do Laboratório de Práticas Jurídicas e pelo diretor de Extensão da universidade e os alunos, mas a decisão dos estudantes pela ocupação dos espaços foi mantida.

Na página que mantém para atualizações, o grupo de alunos ocupados confirmou que o encontro aconteceu em um dos pavilhões, a pedido do juiz. “Houve uma conversa franca e de caráter conciliatório com as pessoas presentes na reunião (…) em que foram novamente expostas as pautas do movimento e o parecer pela não desocupação dos Pavilhões de Aula, definido em assembleia conjunta de ambas as ocupações”, conforme o texto.

Os estudantes declararam, também, que vão continuar nos prédios por tempo indeterminado, até que as demandas do movimento estudantil sejam efetivamente atendidas.

Ocupação começou há 12 dias
Na universidade, os alunos estão em greve estudantil e ocupam os prédios desde o dia 10 de novembro. Na quinta-feira (17), a UFV não registrava mais a presença dos estudantes nos pavilhões, mas no dia seguinte os locais foram novamente ocupados. O movimento estudantil é contrário à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 55, que reduz gastos públicos por 20 anos, e à reforma do ensino médio.

Os estudantes também solicitaram a alteração do calendário escolar pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Cepe), que se reuniu e negou o pedido e apresentou uma contraproposta.

UFSJ e UFJF permanecem ocupadas
Estudantes da Universidade Federal de São João del Rei (UFSJ) também estão em greve desde o dia 8 de novembro, após aprovação em assembleia. Lá, a ocupação da Reitoria da instituição permanece desde o dia 23 de outubro. Já na Reitoria da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), alunos mantêm ocupação desde o dia 26 de outubro.

No Colégio de Aplicação João XXIII, também mantido pela UFJF, os estudantes continuam ocupando o local. Em todos os movimentos nas instituições, os estudantes são contrários às medidas do governo federal na área de educação.

 

Informações G1