O Teatro em Movimento – em sua 16ª edição apresenta em São João Del Rei neste sábado e domingo, às 20h, o premiado espetáculo “Cachorro Enterrado Vivo” , com Leonardo Fernandes, vencedor do prêmio APCA na categoria Melhor Ator. A apresentação acontece na sede do Teatro da Pedra.
“Cachorro Enterrado Vivo”, este era o título da manchete de um jornal em Santos, o qual serviu de inspiração para a dramaturga Daniela Pereira de Carvalho desenvolver o texto teatral. No monólogo, dirigido por Marcelo do Vale, o ator Leonardo Fernandes interpreta três personagens distintos que se envolvem numa mesma situação, onde um vigia de um terreno recebe a proposta de um homem para cavar um buraco e enterrar seu cachorro. Após negociarem um preço, para surpresa do vigia, o dono retorna com o cão vivo. “Ele quer justificar o ato horrível por conta do desaparecimento de sua mulher, por quem o animal sofre desde que o incidente aconteceu”, explica a autora.

A peça, que estreou no ano passado em Belo Horizonte, retrata o instinto do homem e a subjetividade dos animais. “Busquei falar sobre essa ferocidade que existe nos animais e no ser humano, e como isso se transforma em ações”, reflete Daniela. Para Leonardo, “a situação do cachorro enterrado” o inspirou a buscar as emoções do animal e mimetizar seu desespero. Tendo o olfato como um dos principais sentidos dos cães, o ator procurou criar um ritmo para o personagem. “Suas falas são atravessadas pela respiração. É uma maneira de trazer para o meu corpo o drama do animal e seu sofrimento”, conta o ator.

A estrutura do texto propõe a sobreposição e o embate entre três diferentes posicionamentos éticos diante de uma mesma situação. Às vésperas da estreia em Belo Horizonte, o espetáculo quase foi cancelado. Ativistas dos direitos dos animais procuraram a direção do Palácio das Artes porque o título da peça parecia sugerir que um animal de verdade iria ser enterrado em cena. “Convidamos o grupo para assistir a montagem e assim ficou claro que não haveria nenhum cachorro de verdade, muito menos sendo enterrado”, conta Fernandes.