REDE ZEMA VAI FECHAR LOJAS, MAS BARROSO CONTINUA

A crise econômica mudou os planos de uma das maiores redes de eletrodomésticos e móveis de Minas Gerais, a Zema, que tem filial em Barroso.

internas_dc-zema1
Romeu Zema

Com faturamento anual de R$ 1,3 bilhão e pouco mais de 500 lojas, a empresa, fundada por Domingos Zema, na cidade de Araxá, Minas Gerais, em 1923, tinha planos de abrir 35 novas unidades neste ano.

Em vez de crescer, nos últimos meses, a rede foi forçada a fechar 12 lojas e planeja, muito em breve, desativar mais 5 pontos de venda em cidades espalhadas por Minas Gerais, Goiás e São Paulo.

“Estamos enxugando nossa operação para enfrentar este período de crise. Num momento de fraco consumo, as redes de lojas precisam olhar com muito mais atenção os pontos comerciais que não são rentáveis. É o que a Zema está fazendo ”, afirma Romeu Zema, diretor- presidente da rede.

Apesar da crise, a loja de Barroso não está entre as que vão fechar nos próximos dias.

“As notícias para o comércio não são boas, mas nossa empresa está tomando atitudes para seguir em frente com crescimento. Como o próprio Romeu afirma na reportagem, serão fechadas as lojas que não estão dando lucro para a empresa. Posso lhe afirmar que a filial de Barroso e filiais ao nosso redor como Dores de Campos, Carandaí e Resende Costa não irão fechar devido estarmos em crescimento de vendas”, diz Wellington Emídio de Resende, Gerente da Loja Barroso. 

O saldo entre fechamento e abertura de lojas da rede Zema ainda será positivo. A rede que possui 525 lojas espalhadas pelo interior de Minais Gerais, São Paulo, Goiás, Bahia e Espírito Santo vai fechar o ano com 18 lojas a mais do que no ano passado.