QUEM SE LEMBRA DO PROFESSOR EMERSON VASSÃO?

bau edicao 145Registro da fotografia do Professor Emerson Marques Vassão com sua filha Maria Helena em 1974. Natural de Santa Catarina, o professor Emerson Marques Vassão deixou marcas de sua atuação em nossa cidade, onde se estabeleceu por volta de 1971. Em 28 de fevereiro de 1972, foi admitido como professor de Educação Moral e Cívica (E.M.C) e Organização Social e Política Brasileira (O.S.P.B). Era, no mínimo, interessante um ex-preso político lecionando as disciplinas criadas pela Ditadura Militar. A convite do prefeito Genésio, integrou o conselho curador da Fundação Educacional de Barroso em 06 de julho de 1973. No mesmo ano fez parte da comissão de jurados do carnaval barrosense. No entanto, suas habilidades jurídicas logo foram aproveitadas na administração municipal e assim, em 02 de fevereiro de 1978, passou a acumular a função de assessor jurídico da Prefeitura de Barroso. A família Vassão não encontrou dificuldade para interagir com a comunidade. As filhas do professor, Maria Helena, Clarisse e Adriane, estudavam nas escolas da cidade e o filho, Cícero Meyer Vassão, era pastor da Igreja Presbiteriana. O professor Emerson  gostava de dar aulas e, principalmente, do convívio com seus alunos que ele entretinha com sua oratória articulada e inteligente. O professor e advogado terminou seus dias em Barroso com seu corpo velado no Colégio Municipal, em 30 de junho de 1978. Ao resgatar do Fundo do Baú as mémorias do professor Vassão, um barrosense, cuja identidade é mantida em sigilo, revela: “Ninguém se importava comigo. Eu estava quase destruído pela bebida. Ele me tirou do chão. Ajudou-me a procurar trabalho e hoje sou gente outra vez.”

Fundo do Baú por Welington Tibério