Prefeito Reinaldo confirma demissões na Prefeitura

Em audiência realizada na tarde desta segunda-feira (25), no Teatro Municipal Professora Iracema Rocha, o Prefeito de Barroso, Reinaldo Fonseca (PSDB), confirmou as demissões que o Barroso EM DIA havia antecipado com exclusividade na semana passada.

Ao lado de membros da sua equipe, Reinaldo confirmou a demissão de quatro secretários do seu governo; Júnior Malaquias, que respondia pela pasta de Planejamento, Sidney Campos, o Sidão, Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, José Maria Tererê, Obras e Renata Nogueira, Secretária de Cultura. A Secretária de Desenvolvimento Social, Ariane Figueiredo, passa a responder também pela Secretaria de Turismo e Cultura; Antônio Rodrigues Júnior (Juninho Bill), que era diretor na Secretaria de Obras, assume a Secretaria de Obras e passa a responder também pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Robson Ladeira passa a responder pela Secretaria de Planejamento, juntamente com a de Finanças.

“Eu poderia começar cortando os menores salários, mas, apesar de te sido criticado, estou começando nos salários mais altos, pelos meus secretários”, diz Reinaldo que também não garantiu que não haverá mais demissões. “Vamos torcer para que pare por aqui. Vamos acompanhar as contas e ver, mas a princípio são estes cargos”, diz Reinaldo, que estava chorando, emocionado e se despediu presenteando o ex-secretário Júnior com uma lembrancinha.

Chorando, Reinaldo se despede de Secretário
Chorando, Reinaldo se despede de Secretário

Abaixo o quadro dos cortes.

A vice Deléia Napoleão (PPS) também falou e convocou a todos se unirem por uma Barroso

Cortes realizados
Cortes realizados

melhor. “Fomos enganados pela administração passada. Nos falaram uma coisa e na verdade encontramos outra. Disseram que o Distrito Industrial estava pronto e não estava, agora que estamos programando o lançamento do Distrito”, disse Deléia que falou sobre as “coisas boas” que a Prefeitura vem fazendo.

O Presidente da Câmara Giovani Graçano (PPS) também falou com a reportagem do Barroso EM DIA e fez referência ao ex-governo de Eika Oka de Melo (PP). “Administrar com muito dinheiro é fácil, queria ver administrar agora, com essa situação ruim”, declarou Giovani.

Sobre a redução no índice da folha de pagamento com relação ao quadro de pessoal, que inclui os servidores inativos e pensionistas no índice, o Prefeito declarou, através de um slide que foi exibido, que tendo em vista o cumprimento da Instrução Normativa 001/2018, do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais, foi necessário tomar as atitudes. Os atrasos dos repasses do Estado para a Prefeitura também contribuíram para os cortes.

Hoje, os gastos com folha na Prefeitura de Barroso giram, segundo o Prefeito, na casa dos 55%, ou seja, apenas 1% acima do limite permitido pela Lei de Responsabilidade Fiscal, que é de 54%, com limite prudencial de cerca de 51%.

Em números, Reinaldo tem que economizar, a partir de agora, de acordo com o slide apresentado, cerca de R$36 mil por mês na folha de pagamento, que precisa ser corrigida até janeiro de 2019.

LEI

As demissões, de acordo com a Lei Federal 169, no seu parágrafo terceiro, prevê que comece pelos cargos de confiança, até 20%, seguidos de contratados e até concursados, se for o caso.