Por Marcos Magalhães: A Ciência e Educação em risco no Brasil!

Eu, nesse texto, interrompo a série de postagens ligadas a diversidade biológica para trazer a vocês a situação caótica que pode se instalar no ensino de Ciência e na realização de pesquisas nesse país.

As disciplinas de biologia, química e física no ensino médio, e Ciências no ensino fundamental, trabalham conceitos ligados a Ciência, contudo o brasileiro, de forma geral, não tem acesso a maior parte das pesquisas realizadas no país, tão pouco ao método científico e há pouco interesse das crianças e adolescentes pelo tema, situação que caracteriza um “analfabetismo científico”, e isso ocorre em função de inúmeros aspectos (http://www.sbpcnet.org.br/site/noticias/materias/detalhe.php?id=2332).

Há esforços da rede de ensino, de uma pequena parcela da mídia, de ONGs e incentivos federais nos últimos governos etc, que desenvolvem ações para diminuir o problema, entretanto a situação atual do país pode complicar ainda mais a situação da Ciência brasileira, em função das propostas de leis e ementas parlamentares que estão aí, que se entrarem e vigor, na minha opinião e de muitos, levará, digamos, a obscuridade da Ciência.

Mas por que é importante estudar e compreender Ciência?

Poderia aqui listar n justificativas, eis algumas: Resolver problemas cotidianos; entender fenômenos naturais; compreender o funcionamento das novas tecnologias; incentivar a formação de novos pesquisadores; novos produtos agrícolas e farmacêuticos; novas práticas educacionais; e em primeira instância formação de cidadãos críticos.

O primeiro instrumento que poderá implodir o ensino de Ciência é a proposta lei do senador Malta, apoiada por boa parte da bancada “evangélica” de vários partidos de direita. A proposta possui um texto muito bem elaborado e que de início parece interessante, mas a partir de uma leitura mais profunda, o texto evidencia seus objetivos, que em linhas gerais afirmam que no processo de educação não devem ser trabalhados conceitos, informações, teorias etc, que contrapõe a formação familiar (inclui princípios religiosos), o que seria um obstáculo para o ensino de evolução, de diferentes correntes de pensamento, um impedimento da análise de diversos temas ligados a Ciência no cotidiano, e afeta também outras áreas, como história e filosofia, e pior criminaliza os professores que trabalharem esses temas, podendo serem presos por isso. Em vez de pagar melhor os professores querem é prendê-los…

Me desculpem, não quero generalizar, por que existem políticos sérios na bancada evangélica e nos partidos de direita, mas muitos são intolerantes, alimentam fobia contra a Ciência, são manipuladores das massas e usam a igreja para isso….francamente, são essas pessoas que querem definir o rumo da Ciência e da educação brasileira?

Soma-se a isso a proposta de reformulação do ensino médio, outra alavanca para o retrocesso. Uma reformulação é necessária sim e muito, mas não essa aí, que desconsiderou a opinião de todos os grandes educadores do país.

Como se não bastasse isso, a PEC para reduzir gastos públicos, reduzirá e já reduziu investimentos da Ciência, seja diminuindo os recursos para pesquisa, bolsas para mestrado e doutorado, e outras medidas, que costuradas com a “escola sem partido” e a reforma do ensino médio, de fato irão “esfaquear” a Ciência e a educação desse país.

Como a grande mídia divulga as informações que querem e da forma que querem, senti na obrigação de trazer a vocês mais informações sobre o período negro que estamos vivendo, que para muitos é um “recomeço”…..mas que para mim é ditadura disfarçada, e bem disfarçada.

Por Marcos Magalhães