Outra reunião tensa no plenário da Câmara Municipal

Mais uma Reunião Ordinária com clima tenso no Plenário do Legislativo barrosense.

Com a discussão do Projeto de Decreto 42/2016 em pauta, a Câmara recebeu partidários que, mesmo contra as normas do Regimento Interno, se manifestaram durante a Reunião.

A Secretaria de Planejamento da atual administração, Elizete Capelupi, que fez o uso da Palavra do Cidadão para rebater as menções ao seu nome na última Reunião, acabou excedendo o tempo e algumas pessoas se manifestaram contra a atitude da Secretária, que mesmo com o microfone cortado insistiu em responder o Presidente Kiko do Bedeschi (PHS). Depois do desabafo, ela se retirou do Plenário e a reunião continuou.

O clima ficou ainda mais tenso quando o vereador Zeca da Bicicletaria (DEM) pediu vista do relatório da Comissão Especial de Inquérito, a “CEI” da administração passada.

O público presente, que esperava ansiosamente pela votação, ficou decepcionado e se manifestou entre vaias e aplausos.

Com o segundo pedido de vista, o primeiro aconteceu na Reunião passada pelo vereador Anderson de Paula (PP), o Projeto volta a ser discutido definitivamente na próxima segunda-feira (24) em mais uma Reunião Ordinária da Casa. Não cabe mais pedido de vista.

Em discussão está à aprovação ou não do relatório da CEI sobre as possíveis irregularidades, que já estão sendo investigadas pelo Ministério Público de Barroso.

Os possíveis “desvios de verbas” são referentes à administração do saudoso Prefeito Arnô Napoleão, ex-esposo da vereadora Deléia Napoleão (PPS).

Uma série de denúncias referente aos anos de 2005/2008 consta na CPI que teve com relator o vereador Fernando Terra (PP), membro Hélio Campos (PP) e Presidente o vereador Eduardo Pinto (PV).

Na época, todas as denúncias foram levantadas pelos vereadores Rubinho, José Meneghim, Anderson e Tadeu do Bar, que encaminharam um dossiê completo para o Ministério Público de Minas Gerais.