Os dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) mostram que o setor de comércio em Barbacena demitiu mais do que contratou em 2017, enquanto o de prestação de serviços registrou saldo positivo do número de postos de trabalho no mesmo período.

De acordo com o Caged, no setor de serviços, foram criados 193 postos de trabalho em 2017, enquanto no ano anterior houve déficit de 58 vagas. Já no comércio, o índice que já era negativo em 2016, com 197 demissões a mais que contratações, foi agravado em 2017, quando registrou déficit de 219 postos.

Um dos exemplos deste movimento é o que fez a veterinária, Marília Liguori, que ampliou a clínica que montou há seis anos. Ela já tinha mudado de endereço e criado uma sede própria, e agora aproveitou um espaço físico no local para abrir também um pet shop. Para isso, contratou seis funcionários.

“A gente só tinha a clínica, então o número de funcionários era reduzido. Quando montamos o pet, vimos a necessidade de muita mão de obra, para buscar e levar animais, volume de banho e tosa que não tínhamos, precisamos também de funcionários para vendas e para ajudar na administração”, contou.

Para o Sindicato do Comércio (Sindicomércio) de Barbacena, a crise econômica é a responsável pelo movimento, que pode ser revertido caso haja a recuperação da economia e, consequentemente, a retomada do mercado de trabalho da cidade.

“O comércio de Barbacena vem sofrendo com a crise, que vai se perdurando por mais tempo que o esperado. Com isso, vagas de emprego no comércio vem se perdendo devido à adaptação das empresas à situação”, contou o presidente do sindicato, Osvaldo Fernandes Júnior.

Informações G1