Vereadores e o Prefeito ao centro

Os vereadores da Câmara Municipal de Barroso discutiram e votaram, na noite desta quinta-feira (28), o Plano Plurianual, o chamado PPA, visando o próximo quadriênio e o Orçamento para 2018.

Os dois projetos foram aprovados por quatro votos a zero, pois a chamada minoria da Casa; Eduardo Pinto (PV), Leone e Anderson de Paula (PP) e Kiko do Bedeschi (PHS), abstiveram e não votaram no Orçamento e PPA. Eles foram aprovados por Giovani Graçano (PPS), Állan Campos (PSDB), Golô (PDT) e Verinha (PT). O presidente Baldonedo Napoleão (PSDB) só votaria em caso de empate.

De acordo com a bancada da minoria, liderada pelo vereador Anderson, foram detectados vários erros nesses instrumentos de planejamento, inclusive incompatibilidade com a Lei de Diretrizes Orçamentárias, a LDO, o que pode causar transtornos para a administração durante o ano de 2018. Ainda segundo Anderson, o Executivo Municipal alegou que os ajustes e as correções serão feitas somente durante o ano que vem, ou seja, durante a execução do Orçamento. Assim, a bancada da minoria, preocupada com a situação, após alertar para a gravidade, optaram por abster o voto.

“É uma situação preocupante. A Lei Orçamentária autoriza a abertura de créditos suplementares até o limite de 29% apenas. Dependendo das irregularidades, esse limite pode não ser suficiente”, diz Luiz Moreira, o Luizinho, ex-secretário municipal.