Minas é escolhida como melhor destino histórico e de férias em família

Minas Gerais foi escolhido como o “melhor destino histórico e para férias em família”, segundo pesquisa realizada pelo Datafolha, que levou em conta is outros 25 Estados do país e o Distrito Federal. O levantamento foi feito com base em respostas de paulistanos, que citaram Minas como o melhor lugar para curtir férias e conhecer a história do Brasil.

Para quem respondeu os entrevistados, as igrejas seculares, os antigos casarões coloniais, as tradicionais ruas de pedra e os museus históricos, que transportam os turistas de volta para o século XVIII, fizeram com que Minas Gerais se tornasse a primeira opção durante o planejamento das férias.

“Minas agrega atrativos importantes e que juntam não apenas o destino natural, mas as paisagens e os conjuntos históricos, além de edifícios e espaços apropriados para receber os turistas. Temos as igrejas, as casas antigas, mas temos também o circuito do queijo em Minas. Alguns casarões se tornaram pousadas e hotéis e isso também ajuda no entendimento desse passado cultural e acolhe bem o turista”, acredita Michele Arroyo, que é presidente do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha).

Além dos já conhecidos roteiros que contam muito da época do Brasil Colônia, quando Minas Gerais era explorada por Portugal na extração do ouro, novos caminhos vem contando a história mais atual do Estado, como o conjunto arquitetônico da Pampulha, em Belo Horizonte, que recebeu o título de Patrimônio Histórico da Humanidade, e Inhotim, localizado na cidade de Brumadinho, na região metropolitana da capital mineira.

“O Estado também conta com espaços que antes eram apenas de passagem e se tornaram instrumentos para cultura, como a Pampulha e o circuito da praça da Liberdade, ambos em BH. Há também o circuito do queijo, no Sul de Minas, onde o turista pode visitar o espaço”, explicou Michele.

A Secretaria de Estado de Turismo viu com a alegria a escolha de Minas Gerais entre os paulistas, mas lembra que a atuação do governo é coadjuvante ao realizado pelos hotéis, bares e restaurantes do Estado, que também contribuem para a atrair o turista.

“Nosso trabalho é transversal e interage com a cadeia de turismo em Minas. Mas esse prêmio tem que ser dedicado mesmo a quem ajuda a promover estes destinos turísticos. Em um período de crise, entender que conseguimos ser um fator de desenvolvimento gerando emprego e renda é muito gratificante”, afirma o secretário Ricardo Faria.

Por dentro do estado. A partir de 2017, o turista que vem a BH poderá acessar primeiro, por meio do celular, as belezas do Estado. “Para comemorar os 45 anos do Iepha, vamos lançar uma plataforma que terá um guia temático de cada uma das regiões administrativas do Estado e que será renovado a cada ano. Assim, todos poderão pesquisar os locais que querem conhecer antes da viagem”, explicou Michele.

Ponto de turismo em BH. A Secretaria de Estado de Turismo também tem planos para intensificar e atrair os turistas para Minas Gerais. “O prédio mais conhecido como Rainha da Sucata, que faz parte do Circuito da Praça da Liberdade, será um centro de atendimento ao turista. O local se transformará na embaixada do turista em Minas”.

No local, o turista poderá fazer a ativação de produtos, compras de passagens aéreas e de entradas para peças e programação de eventos. As obras devem ser encerradas no fim de outubro e a secretaria já iniciará o planejamento.

Reconhecimento. Minas Gerais possui quatro Patrimônios Culturais reconhecidos pela Unesco. Além do conjunto da Pampulha, em Belo Horizonte, há Ouro Preto, o Centro Histórico de Diamantina e o Santuário do Bom Jesus de Matosinhos, em Congonhas.

 

Informações O Tempo